Maurício Souza explica o que não deu certo na primeira derrota do Vasco: 'O mérito é todo do Novorizontino'

Maurício Souza comandou a primeira derrota do Vasco na Série B do Campeonato Brasileiro (Daniel RAMALHO/CRVG)


O Vasco viveu uma noite para ser esquecida na derrota contra o Novorizontino. Tudo deu errado e ainda teve a expulsão de Anderson Conceição, capitão do time. A equipe que passava segurança para o torcedor foi dominada e, hoje, mostrou descontrole. Méritos do adversário que se soube ler o jogo.

+ ATUAÇÕES: Defensores têm desempenhos catastróficos e recebem as piores notas na derrota do Vasco

- A ideia era, realmente, termos um pouco mais de criatividade no setor de meio-campo sempre que o Palacios vinha para dentro, porém não podemos tirar o mérito, de jeito nenhum, do Novorizontino, que conseguiu, a partir de uma marcação muito impositiva, neutralizar nossas ações. Não conseguíamos sair e começamos a jogar um jogo mais direto, que não nos deu nem o ganho da primeira, nem da segunda bola. Então, o Novorizontino começou a ganhar campo e gostar do jogo. A partir daí, a equipe se descontrolou um pouco e, de uma bola parada sai o gol - pontuou Maurício Souza, que em seguida considerou que a melhora no segundo tempo foi insuficiente:

- Creio que, no segundo tempo, viemos um pouco melhores, tentando controlar um pouco mais as ações, mas dura pouco tempo, o Novorizontino novamente se impôs. É isso, o Vasco, hoje, teve uma noite infeliz. Não conseguimos colocar em prática aquilo que imaginávamos. Sabemos que vamos encontrar adversários que vão competir demais contra a gente porque sabem que o Vasco é um time que compete demais, mas, infelizmente, hoje, não tem muito o que falar porque o mérito é todo do Novorizontino por ter conseguido fazer um jogo extremamente qualificado no que tange à parte defensiva e, partir da parte defensiva, ele conseguiu criar as ações de ataque e foram felizes.

+ Confira a tabela da Série B

Após o confronto com o Operário, o zagueiro Anderson Conceição recebeu seis pontos na testa. O jogador foi liberado pelo departamento médico para participar do confronto de hoje. Mas aparentemente, o capitão jogou com um certo receio. No entanto, o meia Nene foi para a partida com dores na panturrilha.

- O Anderson estava completamente apto a jogar, quem não estava muito bem era o Nene, que tinha uma dor na panturrilha, mas aguentou até onde deu. O Anderson foi liberado pelo DM para jogar e enquanto jogou, curativo e tudo passou desapercebido. Ele botou a cabeça na bola, ele lutou, ele brigou o tempo todo. A questão da lesão na cabeça não influenciou nada no rendimento dele - declarou o comandante.

No próximo domingo, o Vasco encara o Sport, no Maracanã, às 16h, pela 16ª rodada da Série B.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos