Matheus Buffa celebra vaga na final da PFL e promete novo desfecho contra Ante Delija

Nocaute garantiu vaga na final (Foto: PFL)


O Brasil terá um representante na final do GP dos pesos pesados da PFL. Após herdar a vaga do atual campeão, Bruno Cappelozza, de quem venceu na primeira fase, Matheus Buffa agarrou a oportunidade com todas as forças e garantiu um lugar na disputa pelo cinturão do peso-pesado.

No último sábado (13), o lutador derrotou o americano Juan Adams por nocaute técnico no terceiro round. Com isso, garantiu a vaga na final. Além do cinturão, estará em jogo a quantia de US$ 1 milhão de dólares (cerca de R$ 5 milhões).

"Pensei que o juiz não ia parar a luta nunca. Ele (Juan Adams) aguentou muita porrada. Quando o juiz parou a luta, foi uma sensação indescritível. Gostaria de ter feito uma performance melhor, mas dei o meu máximo", disse o lutador da CMSystem.

A participação de Juan Adams, substituindo Denis Goltsov na semana da luta, também pegou Matheus Buffa de surpresa. O lutador brasileiro revelou que encontrou poucos vídeos para estudar o adversário e que, além disso, também teve pouco tempo para se preparar. Mesmo assim, conseguiu conter os ataques e reverter a situação.

"Eu me preparo muito para enfrentar meus adversários, mas dessa vez não tinha muito material para estudar, e isso me impactou. Mas na hora que começou a luta, percebi que ele tentou me jogar para baixo e consegui me levantar rápido", explicou.

Foi a segunda vitória seguida de Matheus Buffa na PFL. O brasileiro, agora, tem 17 vitórias na carreira profissional. Na decisão, terá pela frente o croata Ante Delija, por quem foi nocauteado na estreia da competição.

O lutador revelou que teve um contato amigável com o adversário em uma festa de confraternização do evento, no último fim de semana, mas ressaltou que dentro do ringue a amizade ficará de lado e que o que aconteceu no primeiro encontro não irá se repetir.

"Luta é luta. É o meu futuro e da minha família em jogo. Estava bem ansioso na minha primeira luta no peso pesado. Agora, depois de duas lutas, mostrei que posso ser o cara da categoria. Espero que ele (Delija) não venha com salto alto, porque se vier assim, vou derrubar rápido. Se tudo der certo, vou levar o cinturão para o Brasil", finalizou o curitibano.