Marcelinho Carioca relembra briga com Mascherano e elege culpado: 'Mandava em tudo'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Marcelinho Carioca é um dos ídolos da história do Corinthians (Foto: Djalma Vassao/Lance!/Arquivo)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


Multicampeão e ídolo pelo Corinthians, Marcelinho Carioca teve uma curta terceira passagem pelo clube em 2006. No período, ficou marcado por uma polêmica com o argentino Javier Mascherano. Em conversa no 'Deu Zebra Cast', o ex-jogador relembrou a briga com o hermano.

+ Pai do Luva de Pedreiro chora ao falar sobre multa de R$ 5 milhões: 'Allan Jesus não explicou nada'

- O Mascherano me deu a primeira porrada, depois a segunda e eu pensei 'tem alguma coisa errada'. Na terceira, eu virei e falei: 'Geninho, eu vou dar uma porrada nele'. Eu dei uma só e ele veio reclamar, fui andando e ele me empurrou. O Geninho falou: 'Masche, você deu três porradas nele e ele te deu só uma, mas você ainda quer brigar?'. Nisso, ele tirou o colete e saiu do treino - iniciou Marcelinho.

+ Mauro Cezar detona Rodinei: 'Um dos piores laterais da história do Flamengo'

- Acabou o treino e eu fui para a musculação. O Mascherano foi lá e pediu desculpa. Depois, ele foi falar para mim que o Kia (Joorabchian) não queria que eu jogasse junto com o Tévez. O Tévez tinha que ser a estrela, assim como tinha sido em 2005. Quem mandava era ele (Kia) - completou.

+ 'Sou dependente químico igual aos que estão na Cracolândia', comenta Walter Casagrande

Empresário, Kia Joorabchian fez uma parceira com o Corinthians na década de 2000 através da empresa MSI e foi responsável pelas contratações de craques como Mascherano e Tévez. Apesar dos títulos conquistados com o Corinthians anteriormente, Marcelinho disse que era preterido no time.

- Eu fui contratado, mas não treinava junto com o pessoal. Quando eles treinavam no Parque Ecológico, eu ia para o Parque São Jorge e vice-versa. Eu pensei: 'sou um prisioneiro? Um intruso?'. Eu tinha um contrato de dois anos, ganhava um dinheiro do c******, mas a questão financeira era secundária, a questão era minha relação e história com o Corinthians - encerrou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos