Maratona de Boston incluirá categoria para atletas não binários

Maratona de Boston é a mais antiga do mundo e vai chegar a sua 127ª edição em 2023.Foto: Lauren Owens Lambert/Anadolu Agency via Getty Images
Maratona de Boston é a mais antiga do mundo e vai chegar a sua 127ª edição em 2023.Foto: Lauren Owens Lambert/Anadolu Agency via Getty Images

A Maratona de Boston incluirá uma categoria para atletas não binários, ou seja, atletas que não se identificam com o gênero masculino ou feminino, para sua próxima edição, que será realizada em abril de 2023.

A criação desta categoria faz com que o atleta não precise se inscrever como homem ou mulher para competir na maratona mais antiga, que foi realizada pela primeira vez em 1897.

Leia também:

Embora atualmente não tenhamos padrões de qualificação para atletas não-binários, estamos trabalhando em maneiras para que participantes não-binários sejam aceitos no evento. Porque, embora o número de corridas que oferecem essa categoria tenha aumentado, sua inclusão ainda não é generalizada e isso dificulta a oferta de uma marca.

Por isso, a partir da Maratona de Boston, apelam ao trabalho e ao aprendizado para lapidar esses detalhes, embora os corredores tenham que provar os tempos da categoria feminina como um corte para o momento.

"Sendo nosso primeiro ano, ainda não temos dados suficientes para definir tempos de qualificação não binários. À medida que nos preparamos para corridas futuras, os participantes podem esperar que os tempos não binários sejam atualizados de acordo. oportunidade de aprender e crescer juntos", explica o site oficial.

Nos Estados Unidos, a Corrida de Distância Filadélfia já incluiu a categoria não binária e depois uma meia maratona e a Maratona do Brooklyn em abril deste ano.

Nikki Hiltz, uma atleta não-binária que terminou em segundo lugar na corrida feminina da Fifth Avenue Mile no último domingo, atrás da britânica Laura Muir, elogiou a decisão de adicionar uma divisão não-binária. "Ainda há muito trabalho a fazer, mas estou muito feliz que os corredores não-binários estão sendo reconhecidos pela Maratona de Boston", comemorou.