Mané propôs 'contrato de morte' para jogar pelo Senegal depois de concussão

FOLHAPRESS - Considerado um dos melhores atacantes da atualidade, o senegalês Sadio Mané revelou que propôs assinar um "contrato de morte" para jogar as quartas de final da Copa Africana de Nações, no começo deste ano.

Na competição na República dos Camarões, o Senegal encararia a Guiné Equatorial por uma vaga nas semifinais.

Mané, entretanto, sofrera uma concussão, em um choque com o goleiro rival, no duelo das oitavas de final, no qual os senegaleses superaram Cabo Verde por 2 a 0. Mané fez um dos gols antes de ser substituído devido à pancada na cabeça.

A concussão é uma disfunção temporária no cérebro, com efeitos variados, como dor de cabeça, perda de memória, tontura, falta de coordenação e confusão mental, entre outros.

Variam de pessoa para pessoa a intensidade dos sintomas e a duração deles –podem ser horas, podem ser dias.

A situação de Mané, então com 29 anos, gerou preocupação em seu clube à época, o Liverpool, que solicitou que ele não voltasse a jogar em um intervalo inferior a cinco dias.

"O Liverpool pressionou a federação [senegalesa] e escreveu uma carta à Fifa dizendo que eu precisava de ao menos cinco dias de descanso, o que significava que eu perderia as quartas de final", declarou o jogador em entrevista à Pro Direct Soccer, varejista de material esportivo.

"O médico da nossa seleção também queria [o descanso de cinco dias], e, quando soube disso, imediatamente falei com o treinador [Aliou Cissé] e disse que ele tinha que me escalar. Também fiz contato com o presidente da federação [Augustin Senghor]."

"Eu disse que para mim era importante jogar a Copa Africana de Nações, que eu daria minha vida por isso", prosseguiu o maior artilheiro da história da seleção do Senegal, com 33 gols em 91 jogos.

"Eu os encontrei [técnico, dirigente e médico] e disse: ‘Ouçam, eu sei que não deveria jogar, mas não tem problema. Me deem um contrato, eu assumo a responsabilidade. Se eu morrer, podem dizer que a culpa foi minha, de mais ninguém. Estou pronto para fazer isso!’."

Mané afirmou ter insistido para que o contrato fosse feito, mas que lhe disseram que não seria possível. O médico propôs que uma radiografia fosse feita no dia do jogo, e que o resultado determinaria se ele iria jogar ou não.

Exame realizado e analisado pelas autoridades médicas, inclusive da Confederação Africana de Futebol, Mané obteve o aval para ir a campo. Jogou toda a partida e não teve problema algum, dando inclusive a assistência para o primeiro gol na vitória por 3 a 1.

Depois de eliminar a Guiné Equatorial, o Senegal, novamente com Mané atuando todo o tempo, passou por Burkina Fasso (também 3 a 1, com um gol do camisa 10) e na final superou o Egito de Mohamed Salah nos pênaltis (Mané converteu a cobrança decisiva).

Herói na Copa Africana de Nações e peça-chave na classificação do Senegal para a Copa do Mundo, ele deve estar nos campos qatarianos no final deste ano defendendo seu país, cuja melhor colocação em um Mundial foi registrada em 2002, as quartas de final na Coreia/Japão.

Antes disso, Mané desfilará sua habilidade e velocidade em campos da Alemanha. Encerrada a temporada 2021/2022, o atacante decidiu trocar o Liverpool, equipe que defendia desde 2016, pelo Bayern de Munique.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos