Luís Castro diz que eliminação 'dói muito', exalta Botafogo e minimiza pressão: 'Não cheguei hoje no futebol'

Luís Castro é o técnico do Botafogo (Foto: Reginaldo Pimenta / Lancepress!)


Diante da eliminação para o América-MG, a pressão sobre o trabalho de Luís Castro no Botafogo aumenta a cada dia. Com isso, durante a coletiva de imprensa, o comandante português voltou a exaltar seu elenco e minimizou o momento de vaias e xingamentos por parte da torcida.

- De onde tiro motivação? Do meu trabalho, da minha dignidade. Do meu trabalho diário, da minha carreira. Estou há muitos anos na carreira, não cheguei hoje no futebol. Eu estou preparado para tudo, eu vivo do meu trabalho, nada além disso. São 17 anos e é nisso que busco minha motivação. E pelos exemplos que meus colegas têm dado pelo mundo a fora e aos meus próprios exemplos - disse, e acrescentou:

+ Confira e simule a tabelado Campeonato Brasileiro

- Não comecei por cima, foi por baixo. Sei que é muito difícil superar as montanhas que estão à frente, mas cada um nas nossas vidas já passaram por momentos difíceis e superaram. Onde buscaram a motivação? Onde busco minha, na minha dignidade. Firme, determinado, imperturbável e neste momento me interessa dizer que comando um grupo de jogadores dignos, trabalhadores, que não chegam atrasados aos treinos. Vão embora muito depois dos treinos, concentrados - emendou:

- Deram o exemplo hoje, apesar da desvantagem por 3 a 0 do primeiro jogo que nos condenou a eliminação. Entraram em campo decididos, determinados a tirar a limpo. A partida estava dominada por nós, quando tomamos 1 a 0. Tivemos 26 chutes a gol, queríamos muito ganhar esse jogo. Não sabíamos se iríamos ganhar, mas tentamos e é nisso que busco motivação, no meu trabalho. Onde as pessoas dignas buscam suas motivações diárias - analisou

Além disso, o treinador voltou a citar a extensa lista de desfalques que tem tido ao longo da temporada. No jogo desta quinta, ele ganhou mais um problema, já que Patrick de Paula levou a mão à posterior da coxa e sai ude campo chorando.

+ Erison lamenta derrota do Botafogo e não opina sobre momento de Luís Castro: 'Isso é com a diretoria'

- A eliminação dói muito, porque nós no futebol queremos ganhar sempre e passar pelos desafios com sucesso. Nossa união é muito forte, porque cada pessoa que está no grupo sabe o que temos sofrido nesta temporada. Cada um sabe quantos companheiros temos perdido ao longo das semanas de trabalho. Quantas vezes temos que nos adaptar aos contextos e alterar dinâmicas de jogo. Nós preparamos o time de uma forma e em alguns momentos temos que alterar tudo - salientou, e em seguida emendou:

- Ao longo do jogo, como aconteceu hoje. Fomos perdendo jogadores ao longo do jogo. Tem sido a nossa vida, muito difícil. Nós temos consciência do quanto tem sido difícil. Já era difícil por estar construindo um elenco novo. Os jogadores têm consciência disso. São jogadores extremamente unidos. Nas vitórias, é muito fácil ver essa união. Nas derrotas que se vêem os verdadeiros homens e a união das famílias. E nós estamos bem unidos para seguirmos em frente. Sabemos que será difícil, mas iremos conseguir. A vida é dura para a todos, inclusive para todos nós - finalizou.

+ ATUAÇÕES: Defesa do Botafogo volta falhar em mais uma derrota para o América-MG pela Copa do Brasil


O Botafogo volta a campo no próximo domingo, às 18h, para medir forças com o Atlético-MG, no Nilton Santos. A partida será válida pela 17ª rodada do Brasileirão, a última antes da abertura da janela de transferências.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos