Lisca reencontra América pela primeira vez após passagem histórica

Hoje no Santos, Lisca, então "Doido", fez história no comando do América-MG (Estevão Germano/América-MG)


O Santos enfrenta o América-MG neste domingo (14), às 18 horas, na Arena Independência, em mais um confronto válido pelo Campeonato Brasileiro. O duelo guarda um reencontro especial: Lisca e o clube mineiro.

O treinador deixou o Coelho em junho do ano passado após uma sequência de resultados ruins. A equipe alcançou a marca negativa de sete jogos sem ganhar, tendo seu pior início na era dos pontos corridos do Campeonato Brasileiro. Assim, Lisca saiu.

Mesmo com os resultados negativos, Lisca ficou na história do clube: comandou a equipe em 82 jogos, com 40 vitórias, 27 empates e 15 derrotas, o que lhe deu um aproveitamento de 60,4%. À época, era o trabalho mais longevo da Série A, com um ano e quatro meses.

O treinador alcançou com o América um desempenho histórico. Com ele, o clube retornou à elite nacional e foi a uma semifinal inédita de Copa do Brasil após eliminar Corinthians e Internacional. A queda aconteceu para o Palmeiras, no começo da era Abel Ferreira.

"Agora o América fora, que é um clube que tenho um carinho enorme, tenho uma história linda lá. Junto com jogadores, diretoria e torcida, mudamos o clube de patamar. O América saiu de uma Série B, foi semifinalista da Copa do Brasil, fez uma grande Série A e entrou na Libertadores", disse Lisca, recentemente.

Lisca chegou ao Santos em julho de 2022 para substituir o técnico argentino, Fabián Bustos, demitido. Ele deixou o Sport em meio uma confusão com o presidente do Leão. Até o momento, disputou três jogos no Peixe, vencendo um e empatando outros dois.