Atlético de Madri condena discurso de ódio após gritos racistas contra Vinicius Jr

Vinicius Jr. em jogo contra o Atlético de Madri

(Reuters) - O Atlético de Madri condenou discursos de ódio depois que seus torcedores foram filmados gritando insultos racistas contra o atacante brasileiro do Real Madrid Vinicius Jr. do lado de fora do Estádio Metropolitano antes da partida de domingo pelo campeonato espanhol.

Os comentários do clube, que foram ecoados pela LaLiga, acontecem dois dias depois de centenas de torcedores do Atlético serem ouvidos cantando "Vinicius, você é um macaco, você é um macaco" em um vídeo publicado nas redes sociais pela rádio Cope na preparação para o clássico de Madri, que o Real venceu por 2 x 1.

A imprensa local também reportou que foram ouvidos sons que imitavam macacos e cantos de "Vinicius, morra" durante o jogo.

"O Atlético de Madri condena redondamente os cantos inadmissíveis feitos por uma minoria de torcedores do lado de fora do estádio antes da realização do dérbi", afirmou o clube em nota na terça-feira.

"O racismo é um dos maiores flagelos na nossa sociedade, e infelizmente o mundo do futebol e os clubes não estão livres de sua presença".

Pelé, Neymar e outras figuras importantes do futebol brasileiro saíram em defesa de Vinicius Jr, de 22 anos, na última sexta-feira, depois de um comentarista espanhol dizer que o brasileiro não estava respeitando seus adversários com suas comemorações, comparando seu comportamento com o de um macaco - algo que foi amplamente repercutido nas redes sociais e interpretado como uma declaração racista.

Vinicius publicou uma declaração em vídeo na sexta em resposta ao que chamou de insulto "xenofóbico e racista", dizendo que não iria "parar de dançar" e que "a felicidade de um preto brasileiro vitorioso na Europa incomoda".

O Real Madrid soltou uma nota apoiando seu jogador e declarando que irá tomar medidas legais contra o comentarista.

A nota da LaLiga também condenou os abusos.

"Discurso de ódio não tem lugar na LaLiga e sempre trabalhamos com os clubes e as autoridades para identificar e levar à justiça qualquer caso desse tipo", disse o comunicado.

"Nós denunciamos todos os incidentes dentro e fora dos estádios e trabalhamos com os clubes para manter nosso futebol amigável e agradável."

"A LaLiga sempre relata qualquer incidente de discurso de ódio ou violência às autoridades e auxilia na investigação. Faremos o mesmo com o que aconteceu na noite de domingo", completou a organização.

(Reportagem de Fernando Kallás em Madrid e Manasi Pathak em Bangaluru)

((Tradução Redação São Paulo))

REUTERS TR PB