Jogadores do City impediram Zinchenko de ir para a guerra

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Oleksandr Zinchenko se emocionou em entrevista coletiva antes do jogo contra a Escócia. Foto: Mark Runnacles/Getty Images
Oleksandr Zinchenko se emocionou em entrevista coletiva antes do jogo contra a Escócia. Foto: Mark Runnacles/Getty Images

O lateral Oleksander Zinchenko foi um dos jogadores mais ativos na oposição à invasão da Ucrânia por parte da Rússia, tendo até desejado, nas redes sociais, a morte ao presidente russo Vladimir Putin.

No início da guerra, que nesta sexta-feira chega a 100 dias, o futebolista criticou os atletas russos por ficarem calados e tem tomado várias ações para manter o assunto na pauta. Ele inclusive foi autorizado a colocar a bandeira da Ucrânia no troféu de campeão da Premier League pelo Manchester City.

Leia também:

Ao contrário de Yarmolenko, compatriota do West Ham que foi buscar familiares na fronteira, não recebeu dias de licença no início de março, mas conta agora o jornal ‘The Sun’ que o City teve de o dissuadir de se juntar à defesa territorial no seu país.

O jornal conta que Zinchenko, de 25 anos, estava desesperado para poder ajudar os compatriotas e defender avós e tios que ficaram na Ucrânia, e teve de ser convencido pelo clube e companheiros de equipe a ficar e não partir para pegar em armas. Entretanto, tem ajudado a organizar dezenas de caminhões com ajuda humanitária.

Em entrevista ao antigo jogador Gary Lineker para a BBC, o meio-campista disse no início de março que se sentia impotente ao ver a entrada militar russa no seu país e deu a entender que estava pronto a viajar.

"Vou ser muito honesto. Se não fosse pela minha filha, pela família aqui, estaria lá. Sou mesmo assim. Conheço as pessoas do meu país, a mentalidade, penso da mesma maneira. Tenho muito orgulho em ser ucraniano", disse naquela ocasião.

Zinchenko é um dos jogadores que vai tentar levar a Ucrânia à Copa do Mundo no Catar. No domingo, os ucranianos encaram o País de Gales, em jogo que vai definir a última vaga europeia para o mundial marcado para o mês de novembro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos