Jogador diz ter sido recusado por 50 clubes por ter fama de gay

Elyeser, atualmente no Santa Cruz, afirmou que vídeo descontraídos fizeram com que ele fosse recusado em clubes brasileiros.
Elyeser, atualmente no Santa Cruz, afirmou que vídeo descontraídos fizeram com que ele fosse recusado em clubes brasileiros. Foto: (Rafael Vieira/AGIF)

Um vídeo descontraído em um período de férias. Este foi, segundo o volante Elyeser, atualmente no Santa Cruz, de Pernambuco, o motivo para que ele fosse recusado por mais de 50 clubes brasileiros. Mas o que um vídeo tem de tão ruim?

De acordo com o atleta, que passou mais de oito meses sem poder atuar em sua profissão, a "fama de gay" foi o que fez com que 17 clubes da Série B, outros da Série C e mais alguns da Série D do Campeonato Brasileiro não o aceitassem, como diz seu agente Diogo Pinheiro: "Eu perdi a conta de quantos times, mais de 50. Da Série B foram 17, mesma coisa na Série C, mais alguns clubes da Série D fecharam as portas para ele. Inclusive alguns clubes que só jogavam o Estadual. Em praticamente todos a resposta foi a mesma. Essa parte dele fora de campo não viabilizaria a contratação. O fato é que, pelo vídeo que ele fez, praticamente todas as portas se fecharam no futebol. Eles (os dirigentes) não queriam analisar o jogador Elyeser. Isso foi o que mais me chocou. Eles não analisavam, não viam os números dele. Diziam apenas que não contratariam homossexual".

Leia também:

Os vídeos, gravados no ano de 2017, viralizaram apenas em abril de 2021, quatro anos depois, mudando sua carreira de cabeça para baixo. Elyeser, heterossexual declarado, foi anunciado como reforço do Paysandu em fevereiro do ano passado. Em maio, um mês após o vazamento dos vídeos, ele fora afastado do elenco e passou a treinar separado. Outro mês passou e seu contrato foi rescindido de forma unilateral em qualquer explicação.

Diogo ainda relata outra passagem, em que a negociação já havia sido fechada, tendo a data da apresentação, inclusive, marcada, mas o episódio teria sido determinante para o cancelamento de tudo: "A gente já tinha o acordo salarial. Tudo o que faz parte da negociação já tinha, inclusive, até uma apresentação programada. E aí, quando o presidente desse clube se inteirou do vídeo, ele desistiu da contratação e falou com essas palavras: 'Infelizmente, vou ter que cancelar, porque não posso contratar veado para o meu time. Se eu perder um clássico, a torcida me mata'".