Júnior Santos elogia elenco do Botafogo, relembra período no Japão e revela idolatria por Ronaldinho

Atacante bateu um papo descontraído com o LANCE! (Foto: Vítor Silva/Botafogo)


Júnior Santos chegou ao Botafogo em agosto deste ano e teve uma excelente atuação na vitória em cima do Coritiba por 2 a 0 no Nilton Santos. Em entrevista ao LANCE!, o atacante elogiou o elenco alvinegro e afirmou que todos os jogadores possuem um ótimo relacionamento.

+ Quase todos divulgados! Veja os uniformes das seleções lançados para a Copa do Mundo

- O Botafogo tem um elenco muito bom. Não dá nem para identificar quem é mais resenha. Todos me abraçaram. Um elenco muito humilde. Todo mundo brinca e todo mundo é resenha. Parece que não, mas o Tchê Tchê é muito resenha. Sampaio, Gabriel Pires, Tiquinho... me dou bem com todo mundo. O Danilo também sempre está brincando com todo mundo. Grupo bom demais.

Júnior Santos vem encantando muitos alvinegros com sua personalidade e carisma. Ao L!, o jogador relembrou das passagens por Ponte Preta e Fortaleza, recordou do período que morou no Japão, confessou seus gostos musicais e revelou idolatria por Ronaldinho Gaúcho.

+ Ao L!, Júnior Santos revela desejo de ficar no Botafogo, elogia Luís Castro e relembra momentos de dificuldade


PASSAGENS POR PONTE PRETA E FORTALEZA

- Na Ponte Preta, eu joguei com uma pressão enorme por parte da torcida. O time tinha caído no ano anterior e tinha que subir. A torcida estava pressionando e eu consegui lidar bem com essa pressão. No Fortaleza, eu cheguei para substituir o Gustagol, que vinha fazendo muito gol. Então, eu cheguei com essa pressão e conseguir ir bem também. Eu vim da favela, a gente vê muita coisa. Então, existem certas pressões que a gente tira de letra. Precisamos pensar positivo.

PERÍODO NO JAPÃO

Agradeço muito ao Japão pela minha formação profissional. Acho que evoluí bastante. O começo foi difícil. Uma vez eu fui no restaurante, pedi um prato achando que era peixe e descobri que estava comendo caracol (risos). Aprendi muito. O futebol japonês é bem difícil. Os caras só comem verdura e não têm percentual de gordura. Os caras correm muito. Eu tive que me reeducar e aprender com eles para conseguir jogar. Existe uma pressão muito grande em cima do estrangeiro. Na torcida, não tem muita pressão não. É uma pressão interna. Quando um brasileiro é contratado, precisa fazer a diferença taticamente e tecnicamente. Eles são muito certinhos. Aprendi bastante. Mas eu prefiro o Brasil (risos).

GOSTO MUSICAL

- Racionais, MV Bill, 509-E, Sabotagem e Dexter. "A vida é um desafio" eu gosto bastante. Me identifico muito. "É necessário sempre acreditar que o sonho é possível, que o céu é o limite e você é imbatível". "Nego Drama" eu acho legal também. Combina muito com a minha vida. Essas duas músicas batem com a minha trajetória.


ÍDOLOS NO FUTEBOL

- Ronaldinho Gaúcho. Nasci no interior e queria ser vaqueiro. Na Copa do Mundo de 2002, meu pai me acordou de madrugada para ver o jogo da Seleção e eu vi o Ronaldinho fazer um gol de falta contra Inglaterra. Depois daquele dia, comecei a jogar bola. O Neymar também me inspira muito. É um gênio. Também gosto do Cristiano, porque está sempre querendo mais. Eu pego um pouco de cada um ali e tento agregar (risos). Fazer igual a gente não consegue, mas leva como inspiração.

+ Eduardo dá detalhes sobre parceria com Tiquinho no Botafogo: 'Eu jogo em função dele'

O Botafogo volta a campo nesta quarta-feira, contra o Goiás, às 21h45, na Serrinha, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro. Resta saber se Júnior Santos será novamente utilizado por Luís Castro como titular no ataque alvinegro.