Igor Benevenuto revela que teve depressão e comenta 'trauma' no clássico entre Cruzeiro e Atlético-MG

Igor Benevenuto é um árbitro mineiro de 41 anos (Foto: Divulgação / Instagram)


Igor Benevenuto enfrentou muitas dificuldades antes de assumir publicamente a sexualidade. Em entrevista para o LANCE!, o árbitro revelou que teve depressão e precisou de acompanhamento psicológico por anos.

+ Casagrande e Petkovic deixam a Globo: veja as movimentações da imprensa esportiva em 2022

- Eu tive muito problema de depressão e angústia. Eu tive que fazer acompanhamento psicológico. Foram anos de luta e de batalha. Era uma luta interna na minha mente e isso para mim foi libertador. Eu espero que possa ser libertador para as outas pessoas também.

Durante a entrevista, Igor Benevenuto pediu coragem para as pessoas assumirem o que sentem. O árbitro também afirmou que espera um ambiente de respeito com os jogadores e treinadores nos próximos jogos que for apitar.

+ Ao L!, Igor Benevenuto diz que orientação sexual não era segredo na CBF e Comissão de Arbitragem


O que você espera que aconteça com seu posicionamento?

- Eu espero que as pessoas continuem me respeitando. Cada um com seus limites, suas escolhas e suas individualidades. Eu espero também que outras pessoas possam ter essa coragem de viver o que elas sentem e o que elas pensam. Eu espero que a gente possa se livrar dessa doença que a gente vive. Eu tive muito problema de depressão.

Como você espera que seja a relação com os jogadores em campo?

- O que eu espero dos jogadores é o respeito que sempre houve. Nunca tive nenhum problema com jogador e nenhum técnico sobre essa questão. Eu sou um profissional e entro ali para trabalhar. Não estou ali para procurar relacionamento e me envolver num relacionamento com nenhum jogador e nenhum técnico. Ali, eu sou um árbitro de futebol e estou ali para cumprir as regras do jogo.

Em março deste ano, Igor Benevenuto viveu um trauma após apitar um clássico entre Cruzeiro x Atlético-MG. Durante o jogo, o árbitro assinalou um pênalti para o Galo e começou a sofrer ameaças após o término da partida. Ao LANCE!, Igor Benevenuto revelou como lidou com o episódio do clássico mineiro.

- Depois do clássico, minha vida não é mais a mesma. Eu tive alguns traumas. Faço acompanhamento psicológico, medicação, algumas coisas, mas isso está voltando ao normal. Estou perdendo aquele medo de sair na rua e andar nos lugares públicos. Depois do podcast, ainda não recebi nenhum tipo de ameaça. Pelo contrário, estou recebendo muitas mensagens de carinho e de força.

Igor Benevenuto é membro do quadro da FIFA e apitou diversos jogos de futebol ao longo dos 23 anos de carreira. Nos últimos meses, atletas de todo mundo vem declarando abertamente a orientação sexual, quebrando um tabu que permeia no futebol por décadas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos