Hungria humilha Inglaterra (4-0) em Wolverhampton; Alemanha goleia Itália em casa (5-2)

Hungria e Alemanha não tomaram conhecimento de duas tradicionalíssimas seleções do futebol mundial em jogos desta terça-feira pela quarta rodada do grupo A3 da Liga das Nações.

Os húngaros aplicaram uma retumbante e histórica goleada por 4 a 0 sobre os ingleses, em Wolverhampton.

O meio-campista Roland Sallai (16 e 70), o lateral Zsolt Nagy (80) e o meia Daniel Gazdag (89) marcaram os gols da Hungria.

Desde 1928, com uma goleada de 5 a 1 diante da Escócia em 1928, a seleção dos Três Leões não sofria uma derrota tão acachapante em casa.

"Não é hora de entrar em pânico, é hora de levantar a cabeça. Não vemos a hora de tirar férias agora e voltar mais fortes em setembro", disse após o jogo o capitão Harry Kane em entrevista ao Channel 4.

O atacante do Tottenham mandou uma bola na trave em uma das poucas chances dos donos da casa.

A Hungria, bem organizada e motivada, abriu o placar com um gol de Sallai no qual venceu o duelo aéreo contra John Stones, que mais tarde receberia o segundo cartão amarelo, aos 82 minutos.

O próprio Sallai fez o segundo em uma jogada em que Aaron Ramsdale poderia ter feito mais. O goleiro inglês também deixou a desejar no terceiro gol, um chute forte de Nagy.

Gazdag completou o placar com uma sutil bola por cobertura.

Este resultado, que poucos esperavam na Inglaterra, cinco meses antes da Copa do Mundo no Catar, levanta dúvidas sobre uma equipe muito irregular desde a derrota na Eurocopa para a Itália, há um ano.

"Eu entendo (as vaias) no estádio, mas este grupo de jogadores foi incrível representando o país e é importante que as pessoas continuem a apoiá-los porque eles serão muito fortes no futuro", disse o técnico da Inglaterra Gareth Southgate, que admitiu ter optado "por uma equipe jovem para colocar energia".

- Alemanha atropela Itália -

Enquanto isso, no Borussia Park, em Mönchengladbach, a Alemanha goleou a campeã europeia Itália, por 5 a 2, no clássico entre as duas tetracampeãs mundiais da Liga das Nações.

De acordo com o portal de estatísticas Opta, é a primeira vez desde 1957 que a Itália sofreu cinco gols em uma partida internacional (naquele ano perdeu por 6 a 1 para a Iugoslávia).

Mancini promoveu a estreia em junho de um total de doze jogadores, três deles contra a Alemanha.

Mas a 'Mannschaft' assumiu o controle do jogo desde o início (75% de posse de bola no primeiro tempo) e quase não concedeu chances. Joshua Kimmich concretizou esse domínio aos 10 minutos: livre no centro da área, o meio-campista do Bayern finalizou um passe da esquerda de David Raum para abrir o placar.

Ilkay Gündogan, de pênalti, dobrou a vantagem pouco antes do intervalo (45+3).

Os italianos voltaram com tudo no segundo tempo, e assustaram com um chute de longa distância de Bryan Cristante e um cabeçada após um escanteio de Giorgio Scalvini, quase em sua primeira bola com a camisa da 'Azzurra'.

Mas o bombardeio alemão voltou, e Thomas Müller marcou o terceiro, aproveitando a falta de solidez da defesa da Itália (51).

Timo Werner ampliou ao finalizar um cruzamento de Gnabry (68), e repetiu a dose um minuto depois marcando o quinto (69).

Esta derrota dos "azzurri", no entanto, não é uma grande surpresa. Ele faz parte do processo de reconstrução da equipe comandada por Roberto Mancini, após o trauma da eliminação nas repescagens para a Copa do Mundo do Catar-2022.

"É uma pena terminar assim, mas eles são fortes, nós sabíamos disso. Demos muitas chances no primeiro tempo. Deixamos eles jogarem demais. Também fizemos coisas boas, apesar do resultado", disse Mancini.

Do outro lado, esta vitória maiúscula eleva o moral de seu homólogo Hansi Flick e seus jogadores, que não tinham mostrado sua melhor imagem nas três primeiras rodadas da competição (1-1 contra Itália, Inglaterra e Hungria).

"Esta partida foi um teste para nós, depois de três empates. Uma vitória foi muito importante para nossa confiança", disse Flick.

Wilfried Gnonto, a promessa de 18 anos, diminuiu aos 78 minutos, e Alessandro Bastoni marcou outro gol de honra de cabeça após um escanteio (90+3) aliviando a goleada que reflete, de qualquer forma, o quanto a Itália ainda precisa trabalhar para se reconstruir.

A Hungria lidera o grupo A3 com 7 pontos seguida por Alemanha (6 pontos) e Itália (5 pontos). A Inglaterra é a última com 2 pontos em quatro jogos.

bur/iga/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos