Hamilton defende ex-piloto Naomi Schiff após criticas na internet

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Naomi Schiff disputou a W Series, principal categoria para mulheres no automobilismo. Foto: Matthias Hangst/Getty Images
Naomi Schiff disputou a W Series, principal categoria para mulheres no automobilismo. Foto: Matthias Hangst/Getty Images

Lewis Hamilton saiu em defesa da analista da Sky Sports F1, Naomi Schiff, depois que a ex-piloto recebeu críticas após sua cobertura no GP do Azerbaijão.

Schiff competiu em eventos de corrida desde 2010 e recentemente se tornou embaixadora da diversidade e inclusão da W Series, principal categoria feminina do automobilismo, antes de receber um convite para ser comentarista na Sky Sports para a temporada de 2022.

Leia também:

Mas ela foi alvo de internautas depois de aparecer no paddock em Baku no último fim de semana, com alguns questionando suas credenciais no esporte e criticando sua personalidade.

Mas o multicampeão da Mercedes, Lewis Hamilton, que ficou em quarto lugar na prova do último domingo, vencida por Max Verstappen, foi rápido em revidar seus críticos e disse que estava mais do que qualificada como piloto para trabalhar como especialista, chamando-a de grande trunfo e dizendo que o esporte teve um 'longo caminho' para mudar atitudes.

"Naomi é uma ex-piloto profissional e totalmente qualificada para dar sua opinião como parte da equipe Sky", escreveu ele no Twitter.

“Ela tem sido um grande trunfo desde que entrou e devemos receber uma transmissão mais representativa de braços abertos. Ainda temos um longo caminho a percorrer para mudar essas atitudes no esporte”, prosseguiu.

Hamilton respondeu ao próprio retuite de Schiff, postando um comentário de um internauta, e mais tarde enviou uma declaração agradecendo àqueles que a apoiaram.

Mas ela acrescentou que o bullying online não 'vai a lugar nenhum tão cedo' e reiterou que 'as palavras têm um impacto'.

"Obrigado a todos que vieram em minha defesa", escreveu. “Agradeço todo o amor e apoio, nenhum de vocês passa despercebido!”, prosseguiu.

“Por último, eu amo meu trabalho e não vou deixar ninguém recusar minha ambição ou paixão porque eles estão desconfortáveis ​​com o volume”, finalizou.

Hamilton tem se levantado regularmente contra a discriminação e o abuso no esporte, tornando-se a principal figura da Fórmula 1 a se ajoelhar em 2020 para combater o racismo quando George Floyd foi morto por um policial branco.

Ele também se posicionou contra a homofobia, usando as cores do arco-íris em seu capacete antes do Grande Prêmio do Catar no ano passado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos