Há 29 anos, São Paulo conquistava o bicampeonato na Copa Libertadores; relembre

Em 1993, o Tricolor paulista conquistava seu segundo título seguido pela Copa Libertadores (Divulgação / São Paulo FC)


Há 29 anos, em 26 de maio de 1993, o São Paulo ergueu a taça da Copa Libertadores pela segunda vez, sendo o primeiro título conquistado no ano anterior.

Galeria
> ATUAÇÕES: Crias de Cotia mostram valor, e Caio brilha em vitória do São Paulo; veja as notas

Tabela
> Veja tabela do Campeonato Brasileiro e simule os próximos jogos

Mesmo com uma temporada complicada em questão de calendário, onde o São Paulo chegou a jogar 16 vezes em 30 dias e se recusou a disputar o torneio Rio-São Paulo por falta de data, o Tricolor paulista começou sua trajetória na Libertadores de uma forma mais tranquila.

Por ter garantido o triunfo no ano anterior, entrou na segunda fase da competição, já no "mata-mata". O primeiro adversário que enfrentou foi justamente o último combatido na final de 1992: o Newell's Old Boys.

Embora na primeira partida, a equipe argentina tenha vencido, o jogo de volta, disputado no Morumbi, contou com a goleada de 4 a 0 do São Paulo - mesmo com Raí enfaixado, com o pulso quebrado.

Nas quartas, eliminou o Flamengo - que naquele mesmo ano enfrentou novamente na Supercopa da Libertadores. Nas semifinais, encontrou o Cerro Porteño.

A final foi definida em um confronto contra a Universidad Católica - que se classificou após eliminar o América de Cali. O primeiro jogo da última etapa foi disputado no estádio do Morumbi. O Tricolor paulista proporcionou a maior goleada da história das finais da Libertadores, ao garantir a vitória por 5 a 1, com gols de López, contra, Vítor, Gilmar, Raí e Müller.

Na partida de volta, o adversário do São Paulo venceu por 2 a 0, o que não influenciou em nada no placar final. Assim, a equipe treinada por Telê Santana conquistou a América pela segunda vez.

Relembre a escalação da etapa final:

Club Deportivo UNIVERSIDAD CATÓLICA 2 X 0 SÃO PAULO Futebol Clube

CDUC: Wirth, Romero, Vasquez, Barrera e Contreras (Cardoso); Parraguez, Lepe (capitão) e Lunari; Tupper (Reinoso), Almada e Perez. Técnico: Ignácio Prieto.

Gols: Lunari, 9'/1; Almada (pênalti), 15'/1.

SPFC: Zetti; Vítor (Toninho Cerezo), Válber, Gilmar e Marcos Adriano; Pintado, Dinho, Cafu e Raí (capitão); Palhinha e Müller. Técnico: Telê Santana.

Árbitro: Juan Francisco Escobar (Paraguai)
Público: 45.000 pessoas

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos