'Futuro da Espanha', sobrinho de Euller tem agente de CR7 e já recusou Barça

Sobrinho de Euller, Miguel Carvalho joga pela seleção espanhola na base (Foto: Arquivo Pessoal)
Sobrinho de Euller, Miguel Carvalho joga pela seleção espanhola na base (Foto: Arquivo Pessoal)

LISBOA (PORTUGAL) - “Ele pode acabar se tornando o melhor camisa 8 da Europa”.

Foi com essas palavras que o diretor das categorias de base do Espanyol, Luis Vicente Mateo, anunciou em julho do ano passado que o meia Miguel Carvalho havia recusado oferta do Barcelona para renovar o seu contrato até 2025.

A princípio, a projeção de Mateo poderia ser encarada como exagerada e uma tentativa de resposta ao assédio dos rivais locais nos bastidores, mas passa longe disso. No radar dos grandes clubes europeus, não deve demorar muito para que o brasileiro naturalizado espanhol passe a jogar pelo time principal dos catalães.

Mesmo com 17 anos, Miguel já vem queimando etapas e atuando com frequência pela equipe B do Espanyol. Nascido em Curvelo, a 170 quilômetros de Belo Horizonte, ele está na Espanha desde a infância e foi, inclusive, um dos destaques do país no último Europeu Sub-17, disputado no primeiro semestre.

Tem tudo para seguir um caminho diferente do membro mais famoso da família, que chegou a defender a seleção brasileira por seis vezes.

Leia também:

Miguel é sobrinho do antigo atacante Euller, “o Filho do Vento”.

Dono de passada elegante, rápido e com excelente distribuição de jogo, o meia canhoto é uma das maiores apostas da badalada geração 2005 espanhola e viu o seu talento chamar a atenção para fora das fronteiras. A despeito da idade, ele já possui contrato com a Adidas e fechou acordo em maio para ser representado no mercado pelo superagente português Jorge Mendes, que cuida das carreiras de Cristiano Ronaldo, Bernardo Silva, José Mourinho e outros nomes.

Nada em torno do crescimento de Miguel surpreende, no entanto, a quem o segue desde novo.

É possível dizer até mesmo que se trata, em algum grau, de mais um caso de garoto cujo potencial foi alardeado nas páginas de jornais ainda em seus primeiros passos. Em 2013, o Estado de Minas já havia publicado matéria falando de sua saída prematura para a Europa, rumando inicialmente para o Barcelona: “Miguel nas pegadas de Lionel”, escreveu.

Na época, o seu pai Clayton Viana confiava tanto em seu potencial que disparava e-mails regularmente para os grandes clubes do velho continente atrás de informações sobre peneiras.

O Barça, então, acabou retornando certo dia com uma data e, assim, acompanhado do cunhado Euller, embarcaram os dos para acompanhar Miguel em teste pelos catalães. Depois de duas etapas, o jovem jogador estava aprovado e mudaria radicalmente a vida de toda a sua família, que teve de arrumar as malas para a Espanha.

A passagem pelo Barcelona durou, contudo, apenas um ano, com o Espanyol surgindo em seguida como alternativa para abrigá-lo na base.

Agora o Barça tenta resgatar o seu talento, porém, depois de fazer a sua estreia profissional pela filial do Espanyol, Miguel está convencido em finalizar a sua formação no lado mais modesto da cidade.

Quando a hora de dar o salto chegar, ele sabe que não deverão faltar ofertas e que terá sempre o tio Euller, que também mora na Espanha e trabalha como treinador, para aconselhá-lo.