Futevôlei ganha popularidade em cidades distantes do litoral

Arenas vêm ganhando espaço pelo Brasil e também fora do país (Foto: Divulgação/CTFC)


Apesar de ter sua origem nas areias da praia, o futevôlei vem se tornando um esporte popular também fora do litoral, graças a arenas voltadas à prática de modalidades praianas, e isso também inclui o vôlei e o beach tennis.

A quase 400 km da praia mais próxima, a cidade paulista de Ribeirão Preto possui hoje um dos principais centros de treinamento do país, o CTFC, liderado por Felipinho Carbonaro, que como jogador profissional conquistou diversos títulos.

De acordo com o coach, que atende tanto atletas de alto rendimento quanto amadores, o seu centro de treinamento, fundado em 2018, atende a cerca de 180 alunos, entre homens, mulheres e crianças.

"Hoje em dia muitas pessoas preferem treinar ao ar livre, fora do ambiente fechado, e o futevôlei se tornou uma opção. E quem tem o primeiro contato com a modalidade e começa a treinar, dificilmente abandona", explica Felipinho.

"Esse ambiente ajuda muito para a confraternização, juntando famílias e amigos. E é um esporte que tem pouco índice de lesão, muito por conta do terreno ser fofo e amenizar os impactos no solo. Ou seja, é indicado para todos", completa.

As aulas de Felipinho Carbonaro são coletivas, com exceção dos treinos passados a atletas de alto rendimento. Graças ao sucesso do centro de treinamento, ele já recebeu alguns convites para dar aula nos EUA.

"A maioria dos alunos procura o futevôlei por curiosidade e acaba se apaixonando pelo esporte. Entre os principais objetivos dos praticantes estão a melhora do condicionamento físico, perda de peso e o hobby", aponta o coach.

A rápida popularização do futevôlei, esporte criado na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, nos anos de 1960, dá aos seus amantes a esperança de vê-lo, um dia, nas Olimpíadas.

"Acredito que estamos no caminho certo para crescer cada vez mais. Para esse processo ser ainda mais rápido, acho que deveria haver mais união entre federações e mais apoio por parte de empresários", analisa.