Frases de Ferguson e Mourinho vão parar em dicionário

Ferguson e Mourinho se enfrentaram enquanto um dirigia o United e o outro o Chelsea. Foto: Clive Mason/Getty Images
Ferguson e Mourinho se enfrentaram enquanto um dirigia o United e o outro o Chelsea. Foto: Clive Mason/Getty Images

Frases icônicas de dois grandes técnicos da história do futebol foram parar no Oxford English Dictionary. Famosos por declarações memoráveis, Alex Ferguson e José Mourinho marcaram suas passagens pela Premier League, seja no calor de entrevistas irritadas pós-jogo ou durante espirituosas coletivas de imprensa semanais.

O Oxford English Dictionary publicou sua atualização trimestral que inclui um novo lote de termos relacionados ao futebol antes da Copa do Mundo deste ano no Catar. Reconhecendo as adições, a publicação explicou: "Há uma Copa do Mundo começando em novembro e, embora o OED já tenha coberto um grande número de termos de futebol, este seleto lote de quinze adições preenche algumas lacunas na nossa formação."

Leia também:

Frases de Ferguson e Mourinho podem ser encontradas entre as 15 adições. O "tempo estridente" de Ferguson foi dito pela primeira vez pelo agora aposentado escocês há 19 anos, em uma crítica ao rival Arsenal, que disputava o título da Premier League no final da temporada 2002-03.

Ainda usado até hoje por fãs, jogadores, gerentes e especialistas, a descrição do OED diz: "Um período de tempo particularmente tenso, especialmente aquele que leva ao clímax de uma competição ou evento".

Alguns anos depois, quando Mourinho entrou no futebol inglês, o termo 'estacionar o ônibus' tornou-se comum quando as equipes se sentavam em um bloco defensivo, como o time do Chelsea costumava fazer. O OED explica isso dizendo: "Jogar de uma maneira muito defensiva, normalmente com a maioria dos jogadores de campo perto de seu próprio gol e mostrando pouca intenção de ataque".

Além de jargões da Premier League, termos estrangeiros também foram adicionados ao dicionário. A famosa cavadinha em batidas de pênaltis é chamada de Panenka como homenagem ao jogador tcheco Antonin Panenka, que se colocou no folclore do futebol com um famoso pênalti contra a Alemanha Ocidental na final da Euro 1976.

No que diz respeito ao futebol internacional, qualquer fanático pela França no final dos anos 1990 e início dos anos 2000 lembrará o uso de "portador de água" por Eric Cantona ao descrever Didier Deschamps, que é um dos três únicos homens a vencer a Copa do Mundo como jogador e técnico. "Deschamps sobrevive porque ele sempre dá 100 por cento", declarou Cantona infame. "Mas ele nunca será nada mais do que um carregador de água", finalizou.