França culpa Liverpool e fraude de ingressos por problemas na final da Liga dos Campeões

Polícia tenta conter torcedores do lado de fora do Stade de France antes da final da Liga dos Campeões entre Liverpool e Real Madrid

Por Sudip Kar-Gupta e Tassilo Hummel

PARIS (Reuters) - O governo francês culpou nesta segunda-feira a enorme fraude de ingressos e a forma como o Liverpool lida com seus torcedores pelos problemas com a torcida que abalaram a final da Liga dos Campeões contra o Real Madrid, em Paris, no fim de semana.

Mas, dando prosseguimento a um jogo de empurra, nesta segunda-feira o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, descreveu as cenas do lado de fora do estádio, com alguns torcedores, incluindo crianças, atacados com gás lacrimogêneo pela polícia francesa, como profundamente perturbadoras.

O ministro do Interior francês, Gérald Darmanin, disse que o Liverpool forneceu a seus torcedores ingressos em papel, e não eletrônicos, o que permitiu a possibilidade do que ele descreveu como uma "fraude maciça em escala industrial".

Mais de dois terços dos ingressos apresentados por cerca de 62.000 torcedores do Liverpool eram falsos, acrescentou o ministro.

"Quero dizer mais uma vez que as decisões tomadas evitaram mortes ou ferimentos graves", disse Darmanin a repórteres após realizar uma reunião de emergência na segunda-feira.

A partida foi adiada em mais de 35 minutos depois que a polícia tentou conter as pessoas que buscavam forçar a entrada no estádio sem ingressos. Alguns portadores de ingressos reclamaram que não conseguiram entrar.

Imagens de televisão mostraram imagens de jovens que não pareciam estar vestindo camisas vermelhas do Liverpool pulando os portões do estádio e fugindo da segurança para entrar na partida. Outros do lado de fora, incluindo mulheres e jovens, foram atacados com gás lacrimogêneo pela tropa de choque, disse uma testemunha da Reuters.

O presidente-executivo do Liverpool, Billy Hogan, disse que o clube quer uma "investigação transparente" da Uefa.

O problema com a torcida se tornou uma questão política antes das eleições parlamentares do próximo mês e arranha a imagem da França, que sediará a Copa do Mundo de Rugby em 2023 e os Jogos Olímpicos em 2024.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos