Técnicas com passagem pelo futebol masculino

Depois de mais de 80 anos de existência, o Eastern Long Lions conseguiu o tão sonhado título da Primeira Divisão. O inusitado da história, porém, é que a conquista do clube de Hong Kong veio sob o comando de uma técnica, Chan Yuen Ting. Com o feito, ela se tornou a primeira mulher a dirigir uma equipe profissional numa competição intercontinental de futebol, a Champions League da Ásia. Sua estreia foi, justamente, contra o Guangzhou Evergrande, de Felipão. Embora seja algo raro, outras mulheres também já quebraram barreiras nesse ambiente extremamente machista do futebol ao assumirem o cargo de treinadoras de times masculinos.

Por @marina_galeano

Técnicas com passagem pelo futebol masculino

7. Carolina Morace (Itália) – A carreira de Carolina Morace no futebol começou dentro de campo. Atacante badalada da seleção italiana entre 1978 e 1997, ela também atuou em diversos clubes da principal divisão do país, como Lazio, Milan, Reggiana, entre outros. Depois de pendurar as chuteiras, Carolina continuou no mundo da bola, mas, agora, à beira do gramado. Tirou a licença profissional da UEFA e, entre 1998 e 1999, começou a treinar a equipe feminina da Lazio. Logo na sequência, foi convidada para assumir o time masculino do Viterbese, que então disputava a Série C1 do Italiano. A experiência, porém, durou pouco. Carolina renunciou ao cargo após dois jogos, devido a interferências do presidente do clube em seu trabalho. O episódio não atrapalhou sua carreira. Durante cinco anos (2000 a 2005), ela foi técnica da seleção feminina da Itália e, em 2009, aceitou o convite para dirigir as canadenses. Desde 2011, a ex-atacante ministra cursos da Fifa pelo mundo como embaixadora e instrutora da entidade. Em 2016, assumiu a seleção feminina de Trinidad e Tobago. Foto: AP.

Técnicas com passagem pelo futebol masculino

6. Nilmara Alves (Brasil) – Fã de Muricy Ramalho e entusiasta da filosofia desenvolvida por Pep Guardiola, Nilmara Alves foi a primeira mulher a assumir um time profissional masculino no estado de São Paulo. Contratada em 2012 pelo clube-empresa Manthiqueira, de Guaratinguetá (a cerca de 175 km da capital), a técnica estreou com o pé direito na nova função: uma vitória por 2 a 0 em casa, diante do Ecus, pela Quarta Divisão do Campeonato Paulista. Linha dura, Nilmara já chegou impondo suas regras –nada de dancinhas nas comemorações dos gols. Os atletas, que já a conheciam de longa data (ela trabalhou como preparadora física do Manthiqueira antes de receber o convite para ser treinadora), sempre a respeitaram. O trabalho em campo também convenceu a diretoria do clube, que, em fevereiro deste ano, acertou a renovação de Nilmara para dirigir a Laranja Mecânica na Segunda Divisão Paulista. No Grupo 4, o time da técnica terá pela frente Guaratinguetá, São José Esporte Clube, Jabaquara, Mauaense, Real Cubatense, União Mogi e Atlético Mogi. A competição ocorre entre abril e outubro. Foto: Gazeta Press

Técnicas com passagem pelo futebol masculino

5. Selma Al Majidi (Sudão) – Se já é difícil para uma mulher trabalhar no futebol em países com maior igualdade de gênero, imagina em locais onde as disparidades entre os sexos são enormes. Quebrando todos os paradigmas no Sudão, Selma Al Majidi tornou-se a primeira técnica de um time masculino num país árabe, o Al Nasr, que disputa a Terceira Divisão nacional. Apaixonada por futebol, Selma passou a acompanhar os treinos do irmão e aproveitava para observar e apreender as orientações dadas pelo treinador da equipe. “Eu aprendi suas instruções táticas e guardei até o modo como ele colocou os cones”, disse a sudanesa em entrevista ao site oficial da Fifa. A sala de casa, então, virou um campo de treino, e os utensílios de cozinha viraram instrumento de trabalho. Além de ver jogos pela TV, à noite, Selma costumava reproduzir com o irmão tudo aquilo que havia aprendido assistindo aos treinamentos. O primeiro convite como técnica surgiu para treinar os times sub-13 e sub-16 do Al-Hilal. Com os adolescentes, ela aprendeu a ter muita paciência. Continuou se preparando para obter as licenças junto à Federação do Sudão e à Confederação Africana de Futebol e, diante do bom desempenho obtido na base, despertou o interesse de equipes profissionais. E assim, Selma chegou até o Al Nasr. O começo, porém, não foi fácil. “Alguns dos jogadores não queriam trabalhar comigo apenas porque sou mulher. Com tempo, porém, eles vieram a me respeitar e me elogiaram pelo meu trabalho. Foi um grande desafio e eu encarei da melhor maneira possível ao salvar o time do rebaixamento”, contou. Foto: Reprodução/Twitter/SudaneseCulture

Técnicas com passagem pelo futebol masculino

4. Corinne Diacre (França) – Em 2014, o Clermont, clube da Segunda Divisão do Campeonato Francês, anunciou que Helena Costa seria a primeira técnica mulher a treinar uma equipe de homens. Mas, apenas um dia depois do anúncio, a portuguesa pediu demissão do cargo, alegando problemas pessoais. Mesmo assim, os dirigentes não desistiram da ideia e trouxeram outra mulher para a função. Ex-capitã da seleção francesa, Corinne Diacre estreou com uma derrota por 2 a 1 para o Brest, fora de casa, no início da temporada. O tropeço fez parte do caminho. Até hoje, Corinne continua à frente do time principal do Clermont. Com 33 pontos em 27 jogos (oito vitórias, nove empates e dez derrotas), a equipe ocupa a 14ª posição da Segunda Divisão da França. Foto: AP

Técnicas com passagem pelo futebol masculino

3. Helena Costa (Portugal) – Após uma longa jornada dedicada a estudar profundamente o futebol, Helena Costa se tornou a primeira mulher a ser contratada para dirigir uma equipe masculina profissional de alto nível. Em 2014, o Clermont, clube da Segunda Divisão Francesa, anunciou a decisão inédita, mas a portuguesa desistiu do cargo depois de apenas um dia de treinamentos. Alegando motivos pessoais, Helena pediu demissão. À imprensa, afirmou que os colegas homens a teriam deixado de lado nas principais decisões, e que ela seria apenas um rosto usado convenientemente para atrair publicidade ao clube. Corinne Diacre, então, foi convidada a ser a nova treinadora do Clermont. Formada em Ciências do Desporto, Helena Costa fez mestrado na área e também obteve as principais certificações da UEFA. Treinou as categorias de base masculinas do Benfica e do Sport Lisboa, equipes com as quais conquistou diversos títulos expressivos, incluindo mundiais. Em 2010, a portuguesa fez as malas rumo a Doha, no Qatar, para criar toda a estrutura feminina de futebol no país do Oriente Médio. Dois anos mais tarde, foi convidada para dirigir a seleção feminina do Irã. Foto: AP

Técnicas com passagem pelo futebol masculino

2. Claudia Malheiro (Brasil) – Claudia Malheiro foi pioneira no Brasil ao se tornar a primeira mulher a comandar um time profissional masculino de futebol, o Andirá Esporte Clube, do Acre. Formada engenheira agrônoma, Claudia dirigiu a equipe em 2000 e 2007, ano em que a equipe conquistou o inédito vice-campeonato estadual. Sua história com a bola começou ainda na juventude, como atleta de clubes de Manaus e do Rio de Janeiro. Aos 34 anos, interessou-se pelos aspectos técnicos do futebol e começou a estudar. Em 1999, quando retornou ao Acre, recebeu o convite para ser auxiliar de Ulisses Torres, então técnico do Vasco da Gama-AC. A parceria deu certo e, na mesma temporada, a dupla sagrou-se campeã estadual. Depois de comandar o Andirá, Claudia assumiu a função de coordenadora das categorias de base do Rio Branco-AC. Diante da falta de perspectiva e de profissionalismo das equipes acreanas, passou a ajudar algumas delas na formação de atletas. Mesmo com todas as dificuldades enfrentadas, a brasileira garante que voltaria à beira do gramado e, para as mulheres que desejam trabalhar com futebol, deixa um conselho: é preciso coragem, persistência, vontade de seguir em frente e não desistir. Foto: AP

Técnicas com passagem pelo futebol masculino

1. Chan Yuen Ting (Hong Kong) – Antes de assumir o Eastern Long Lions, Chan Yuen Ting era analista de desempenho do Sun Pegasus, no qual foi campeã três vezes com o time sub-18. A jovem, que se formou em geografia e administração, também teve passagem pela seleção feminina de futsal de Hong Kong. A paixão de Chan Yuen pelo futebol surgiu enquanto ela assistia às partidas da Premier League, naquela época estrelada por David Beckham. Decidiu então entrar no mundo da bola, mesmo a contragosto dos pais –as primeiras barreiras que precisou vencer nesse ambiente tão machista. Sua chegada ao Lions ocorreu logo após a saída do técnico Yeung Ching-kwong, e o rendimento da equipe cresceu surpreendentemente: das 15 partidas disputadas, perdeu apenas uma. Com isso, o time conquistou o título inédito da Primeira Divisão e o direito de disputar a Champions League Asiática. A estreia na competição continental aconteceu diante do badalado Guangzhou Evergrande, comandado por Felipão e que tem no elenco estrelas como Paulinho e Ricardo Goulart. Apesar de sofrer uma goleada por 7 a 0, Chan Yuen Ting não desanimou. “Estou feliz por ser um modelo para outras treinadoras”, disse, ao site da Fifa. “Estou pronta para oferecer uma mão amiga a qualquer mulher que esteja pensando em seguir nesta carreira”, acrescentou a primeira técnica campeã numa liga profissional da primeira divisão em todo o mundo. Foto: AP