Ricos e frustrados: 10 badalados times brasileiros que foram mal na Libertadores

Há anos, o poderio financeiro do Brasil em comparação às nações vizinhas é apontado como razão para os times do país serem favoritos na Taça Libertadores da América. Mas não faltam exemplos de equipes badaladas e até campeãs por aqui que não conseguiram sequer passar de fase no torneio continental. Relembre 10 desses casos.

Por William Correia

Ricos e frustrados: 10 badalados times brasileiros que foram mal na Libertadores

Fluminense 1985 – O Fluminense entrou na Libertadores de 1985 com a base campeã brasileira no ano anterior, com Romerito e o “Casal 20” Washington e Assis. Mas saiu do torneio sem nenhuma vitória: empatou os dois jogos diante do Vasco, foi derrotado na Argentina por Ferro Carril e Argentinos Juniors, levou 1 a 0 do Argentinos no Maracanã e se despediu com um 0 a 0 contra o Ferro Carril, no Rio de Janeiro. Foto: Gazeta Press

Ricos e frustrados: 10 badalados times brasileiros que foram mal na Libertadores

Inter 2007 – O Colorado tinha acabado de ser campeão mundial e defendia o título continental na Libertadores de 2007. Mas de nada adiantou manter a base de Abel Braga com Clemer, Fernandão, Alexandre Pato e Iarley, entre outros. O time venceu os dois jogos sobre o equatoriano Emelec e fez 1 a 0 sobre o uruguaio Nacional, na última rodada, no Beira-Rio. Porém, como ficou no 0 a 0 em casa diante do argentino Velez Sarsfield e perdeu como visitante para Velez e Nacional, foi eliminado por diferença no saldo de gols e entrou para a história de forma negativa: pela primeira vez, o atual campeão da Libertadores caiu logo na fase de grupos do ano seguinte. Foto: Gazeta Press

Ricos e frustrados: 10 badalados times brasileiros que foram mal na Libertadores

São Paulo 1987 – Campeão brasileiro em 1986, o São Paulo teve sua pior participação em Libertadores no ano seguinte. O Tricolor mantinha nomes como o goleiro Gilmar, a histórica zaga formada por Dario Pereyra e Oscar e astros como Sila, Pita, Muller e Careca. Mas a equipe não foi além do grupo que dividia com Guarani e dois chilenos: no Morumbi, só venceu o Cobreloa, perdendo do Colo Colo e empatando com o Bugre; como visitante, foi derrotado em Campinas e pelo Cobreloa e ficou no 2 a 2 diante do Colo Colo. Foto: Gazeta Press

Ricos e frustrados: 10 badalados times brasileiros que foram mal na Libertadores

Atlético-PR 2002 – O Furacão surpreendeu o Brasil com o título brasileiro de 2001, mas não fez nem brisa na Libertadores do ano seguinte, mesmo em um grupo frágil. O técnico Geninho tinha Alex Mineiro, Kleberson, Adriano Gabiru, Dagoberto e Ilan, mas já estreou perdendo em casa para o boliviano Bolívar, e só venceu um jogo, em Curitiba, contra o equatoriano Olmedo. Na campanha, que teve ainda dois empates e três derrotas, houve um jogo que o Atlético-PR vencia o Bolívar por 5 a 1 na Bolívia e acabou cedendo o empate por 5 a 5 após as expulsões de Ilan e Adriano. E a vergonhosa participação não poderia terminar pior: derrota por 5 a 0 para o América de Cali, na Colômbia, na última rodada. Foto: AP

Ricos e frustrados: 10 badalados times brasileiros que foram mal na Libertadores

Vasco 1975 – O então campeão brasileiro jogou a Libertadores de 1975 com o técnico Mário Travaglini comandando nomes como o goleiro Andrada e o artilheiro Roberto Dinamite. Mas o Vasco, que dividia seu grupo com o Cruzeiro e os colombianos Atlético Nacional e Deportivo Cali, só foi vencer na rodada final, aplicando 2 a 0 sobre o Atlético Nacional, em São Januário, quando já estava eliminado. Antes disso, foram três empates, derrotas no Mineirão e em Cali e uma participação a ser esquecida pela torcida. Foto: Gazeta Press

Ricos e frustrados: 10 badalados times brasileiros que foram mal na Libertadores

Atlético-MG 1972 – O campeão brasileiro de 1971 passou vergonha em sua estreia em Libertadores. O Atlético-MG manteve a base, com Dadá Maravilha na frente, e trouxe do Peñarol o uruguaio Mazurkiewicz, tido como um dos melhores goleiros do mundo na época. Mas o Galo, que estava no grupo do São Paulo e dos paraguaios Olimpia e Cerro Porteño, se despediu sem vencer: cinco empates e uma derrota, por 1 a 0, para o Cerro, em Assunção. A participação ainda ficou marcada por uma confusão no 2 a 2 diante do Olimpia, no Paraguai, na penúltima rodada, que resultou em cinco expulsões do time brasileiro, que fez o jogo ser interrompido e a equipe mineira ficar sem o ponto do empate. Foto: Gazeta Press

Ricos e frustrados: 10 badalados times brasileiros que foram mal na Libertadores

Grêmio 1990 – O time tinha acabado de ser o primeiro campeão da história da Copa do Brasil, contava no elenco com nomes como o goleiro Mazaropi, Cuca e Assis, irmão de Ronaldinho Gaúcho, e, dos quatro times do grupo da primeira fase da Libertadores, três se classificavam. Para completar, o Grêmio estreou batendo o Vasco, então detentor do título brasileiro, por 2 a 0. Mas o Tricolor perdeu de Olimpia e Cerro Porteño em Assunção e acumulou empates diante do Vasco, no Rio de Janeiro, e dos dois times paraguaios, no Olímpico. A antes improvável eliminação estava decretada. Foto: Gazeta Press

Ricos e frustrados: 10 badalados times brasileiros que foram mal na Libertadores

Palmeiras 2016 – O então campeão da Copa do Brasil chegou à Libertadores credenciado pelo aumento dos investimentos da Crefisa e da FAM. A diretoria ainda fez contratações que chegaram sob elogios, como Edu Dracena, Jean e Erik. Mas a equipe perdeu os dois jogos para o Nacional, do Uruguai, e empatou fora de casa com o uruguaio River Plate e o argentino Rosario Central. A goleada por 4 a 0 no Allianz Parque sobre o River, na última rodada, de nada adiantou para evitar a eliminação. Foto: AP

Ricos e frustrados: 10 badalados times brasileiros que foram mal na Libertadores

Flamengo 2014 – O Flamengo tinha acabado de conquistar a Copa do Brasil de 2013 e reforçou-se com nomes de impacto, como Alecsandro, Elano, Everton, Erazo e o argentino Lucas Mugni, candidato a craque. Para aumentar a euforia, o time caiu em um grupo com os aparentemente frágeis Emelec, do Equador, León, do México, e Bolívar, da Bolívia. Mas o time do técnico Jayme de Almeida só acumulou frustrações: venceu apenas dois jogos, empatou um e perdeu três. A precoce eliminação se confirmou de forma melancólica, com derrota por 3 a 2 para o León, no Maracanã, na última rodada, sacramentada com gol mexicano aos 38 do segundo tempo. Foto: AP

Ricos e frustrados: 10 badalados times brasileiros que foram mal na Libertadores

Corinthians 2011 – A equipe já contava com Ronaldo Fenômeno e Roberto Carlos e, com Tite como técnico, tinha brigado pelo título brasileiro de 2010 até a última rodada. O elenco foi reforçado em 2011 com o lateral esquerdo Fábio Santos e o atacante Willian, hoje no Palmeiras, entre outros, e a disputa da fase preliminar parecia ser apenas uma burocracia. Mas, do outro lado, estava o Deportes Tolima, que segurou o 0 a 0 no Pacaembu e venceu por 2 a 0 na Colômbia, causando a primeira e única eliminação de um brasileiro na chamada Pré-Libertadores e ficando marcado na memória dos rivais do Corinthians. Foto: AP