Rankings mais baixos que chegaram à final em Wimbledon

Por Rubens Lisboa (@rubenslisboa)

Mais antigo torneio de tênis, Wimbledon mantém suas tradições, entre elas a formatação de um critério próprio na definição dos cabeças de chave, sem seguir a ordem direta pelo ranking, como acontece nos outros torneios de Grand Slam. Apesar disso, não são muitos os casos em que tenistas com ranking muito inferior chegaram à final, principalmente no torneio feminino, onde jogadoras fora do top 50 nunca chegaram perto do título. Confira a seguir os piores rankings de jogadores finalistas na grama de Wimbledon.

Rankings mais baixos que chegaram à final em Wimbledon

Cedric Pioline (1997) – 44º
O francês entrou no torneio sem ser cabeça de chave, dono do ranking número 44 em simples na ATP, derrotou logo na terceira rodada o cabeça 15, o sul-africano Wayne Ferreira, e desde então não teve mais nenhum dos principais favoritos pela frente até chegar à final, tendo passado pelo campeão de 1991, o alemão Michael Stich, na semifinal. Na disputa pelo título, Pioline não conseguiu surpreender o americano Pete Sampras, então número 1 do mundo, que venceu a final por 6/4, 6/2 e 6/4. (Getty Images)

Rankings mais baixos que chegaram à final em Wimbledon

Goran Ivanisevic (2001) – 125º
Três vezes finalista em Wimbledon, com derrotas nas decisões de 1992 (contra Andre Agassi), de 1994 (contra Pete Sampras) e 1998 (novamente contra Sampras), o croata não tinha ranking para entrar diretamente na chave do Grand Slam em 2001, quando começou o torneio como número 125 do mundo. Tendo recebido um Wild Card (convite) para a chave principal, se tornou o primeiro convidado a vencer Wimbledon, além de ser o pior ranqueado da história entre os campeões do torneio depois de passar por Carlos Moya, Andy Roddick, Marat Safin, Tim Henman e Patrick Rafter, este na final, por 6/3, 3/6, 6/3, 2/6 e 9/7. (Getty Images)

Rankings mais baixos que chegaram à final em Wimbledon

Mark Philippoussis (2003) – 48º
O australiano não vivia o auge da carreira em 2003, embora seguisse competitivo no circuito quando obteve seu melhor resultado em Wimbledon, tendo entrado na chave como número 48 do mundo. Sem ser cabeça de chave, Philippoussis conseguiu uma grande vitória diante do segundo favorito Andre Agassi nas oitavas de final e embalou rumo à decisão para enfrentar ninguém menos que o suíço Roger Federer, então cabeça de chave 4 e que não tinha conquistado ainda nenhum de seus 18 títulos de Grand Slam. O australiano não conseguiu passar por Federer, que venceu a final com 7/6(5). 6/2 e 7/6(3). (Getty Images)

Rankings mais baixos que chegaram à final em Wimbledon

Chris Lewis (1983) – 91º
Com apenas dois títulos conquistados em torneios menores, ambos no saibro, o tenista neozelandês entrou na chave principal de Wimbledon como número 91 do mundo em 1983 e tirou proveito das quedas precoces de Jimmy Connors e Guillermo Vilas, respectivos cabeças de chave 1 e 4 do torneio, para avançar até a final. Lewis enfrentou na decisão pelo título o americano John McEnroe, que confirmou o favoritismo e venceu o Grand Slam ao fechar a partida em triplo 6/2. (Getty Images)

Rankings mais baixos que chegaram à final em Wimbledon

David Nalbandian (2002) – 32º
A Argentina é uma das grandes escolas do tênis jogado no saibro, mas foi na grama de Wimbledon que o argentino David Nalbandian disputou sua primeira e única final de Grand Slam da carreira, em 2002. Na mesma chave do americano Pete Sampras, um dos mais perigosos tenistas para se enfrentar na grama, Nalbandian aproveitou a queda precoce de Pete Sampras para um lucky loser, venceu duelos épicos nas quartas e semifinais para chegar à final como número 32 do mundo, mas parou no então líder do ranking, o australiano Lleyton Hewitt, que venceu a final por 6/1, 6/3 e 6/2. (Getty Images)

Rankings mais baixos que chegaram à final em Wimbledon

Vera Zvonareva (2010) – 22ª
Cabeça de chave número 21 do torneio, Zvonareva não estava cotada entre as principais favoritas em Wimbledon na temporada 2010. Mas depois de vencer duas tenistas vindas do qualificatório nas primeiras rodadas, ela foi avançando e derrubou jogadoras com ranking superior ao dela, como a sérvia Jelena Jankovic, cabeça 4, e a belga Kim Clijsters, oitava favorita, para chegar a sua primeira final de Grand Slam em simples. Na disputa pelo título, ela acabou derrotada pela americana Serena Williams, número 1 do mundo, com parciais de 6/3 6/2. (AP Photo/Pavel Golovkin)

Rankings mais baixos que chegaram à final em Wimbledon

Sabine Lisicki (2013) – 23ª
A alemã era apenas a 23ª cabeça de chave em Wimbledon na temporada 2013 e já tinha chamado a atenção pela semifinal alcançada dois anos antes. Com uma chave que não era das mais fáceis, acabou derrotando a grande favorita Serena Williams, número 1 do mundo, nas oitavas de final, e depois bateu a polonesa Agnieszka Radwanska, quarta favorita, na semifinal, para chegar a sua primeira e única final de Grand Slam da carreira em simples. Acabou derrotada na decisão do título pela francesa Marion Bartoli, com 6/1 6/4. (Getty Images)

Rankings mais baixos que chegaram à final em Wimbledon

Boris Becker (1985) – 20º
O alemão que declarou falência recentemente devido às dívidas, foi um fenômeno ao atingir sua primeira final de Grand Slam com 17 anos em 1985. Em Wimbledon, entrou como número 20 do mundo, quando eram designados apenas 16 cabeças de chave. Sem se intimidar contra favoritos, o alemão chegou à final para bater o americano Kevin Curren, cabeça de chave 8, com 6/3, 6/7, 7/6 e 6/4, se tornando assim o mais jovem campeão de Grand Slam, marca que seria batida quatro anos depois por Michael Chang. (Getty Images)

Rankings mais baixos que chegaram à final em Wimbledon

Garbiñe Muguruza (2015) – 20ª
Tendo jogado a chave principal de Wimbledon apenas duas vezes, sem ir além da segunda rodada, a espanhola era número 20 do mundo em 2015, quando chegou à final depois de derrubar a alemã Angelique Kerber, cabeça de chave 10, a dinamarquesa Caroline Wozniacki, cabeça 5, além da suíça Timea Bacsinszky e a polonesa Agnieszka Radwanska, ambas melhor ranqueadas que Muguruza. Mas na final prevaleceram a experiência e o favoritismo de Serena Williams, que venceu por duplo 6/4 e chegou à sexta de suas sete conquistas em Wimbledon. (Getty Images)

Rankings mais baixos que chegaram à final em Wimbledon

Venus Williams (2007) – 31ª
A americana já era tricampeã de Wimbledon, mas não estava entre os destaques da temporada em 2007, quando chegou ao torneio como número 31 do mundo, pior ranking de uma finalista até hoje na chave feminina. Venus desbancou nas oitavas de final a russa Maria Sharapova, nas quartas Svetlana Kuznetsova, na semifinal a sérvia Ana Ivanovic e faturou o quarto título ao derrotar a francesa Marion Bartoli, então 19ª da WTA, por 6/4 6/1. (Getty Images)