Jogadores brasileiros que se destacam no lado B da Europa, mas ninguém sabe quem são

Yahoo Esportes

Não é apenas pelos cinco títulos de Copa do Mundo que o Brasil é tido como o país do futebol. A cada ano que passa, os clubes locais revelam um número imenso de jogadores. Alguns são aproveitados pelos clubes grandes, outros ficam perambulando pelos campeonatos nacionais e existem aqueles que são vendidos para times de grande expressão no cenário do futebol mundial. Mas ainda existe um grupo ainda mais peculiar: o de jogadores que não acham espaço por aqui e vão rodar em países menores sem que muitos brasileiros que não sejam familiares ou amigos destes saibam muito sobre as suas carreiras. Pensando neles, preparamos uma lista com dez jogadores que não tiveram muito destaque por aqui e têm trajetórias interessantes pelo mundo do futebol.

Por Matheus Ribeiro (@_ribeirom)

<p>O nome de batismo é Sidney Cristiano dos Santos, mas pode chamar de Melih Gökçek. Apelidado de Tita, o atacante que começou sua carreira profissional no Ituano foi para a Turquia em 2004 e nunca mais voltou, conseguindo até sua cidadania local. Com 36 anos, Melih é uma das peças importantes do Gümüshane na luta pelo acesso na 2. Lig, a terceira divisão turca. Foto: Divulgação </p>
Tita – Gumushanespor (Turquia)

O nome de batismo é Sidney Cristiano dos Santos, mas pode chamar de Melih Gökçek. Apelidado de Tita, o atacante que começou sua carreira profissional no Ituano foi para a Turquia em 2004 e nunca mais voltou, conseguindo até sua cidadania local. Com 36 anos, Melih é uma das peças importantes do Gümüshane na luta pelo acesso na 2. Lig, a terceira divisão turca. Foto: Divulgação

<p>Assim como o já citado Guilherme, Hebert teve o início da sua carreira em Portugal, tendo sido emprestado pelo Vasco em 2011. Posteriormente, ele foi comprado pelo Braga, mas não conseguiu ter sucesso no novo clube. Em 2014, o defensor foi vendido ao Piast Gliwice, da Polônia, e tem sido titular da equipe desde então, ajudando o clube a ficar com o vice-campeonato da primeira divisão local na temporada 2014/15. Foto: Divulgação </p>
Hebert Silva – Piast Gliwice (Polônia)

Assim como o já citado Guilherme, Hebert teve o início da sua carreira em Portugal, tendo sido emprestado pelo Vasco em 2011. Posteriormente, ele foi comprado pelo Braga, mas não conseguiu ter sucesso no novo clube. Em 2014, o defensor foi vendido ao Piast Gliwice, da Polônia, e tem sido titular da equipe desde então, ajudando o clube a ficar com o vice-campeonato da primeira divisão local na temporada 2014/15. Foto: Divulgação

<p>Com 31 anos, Paulinho Guerreiro ostenta a camisa 10 do BK Häcken, da primeira divisão sueca e é o artilheiro da equipe até o momento, com nove gols, além de seis assistências. É a sua segunda passagem pelo clube. Entre 2007 e 2010, o atacante ajudou a equipe a subir para a elite do país ao marcar nove gols na segunda divisão em 2008. No Brasil, ele foi revelado pelo Palmeiras e passou por várias equipes, incluindo uma participação bem-sucedida com o XV de Piracicaba no Paulistão de 2015, em que marcou sete gols em 15 jogos. Foto: Divulgação </p>
Paulinho – BK Hacken (Suécia)

Com 31 anos, Paulinho Guerreiro ostenta a camisa 10 do BK Häcken, da primeira divisão sueca e é o artilheiro da equipe até o momento, com nove gols, além de seis assistências. É a sua segunda passagem pelo clube. Entre 2007 e 2010, o atacante ajudou a equipe a subir para a elite do país ao marcar nove gols na segunda divisão em 2008. No Brasil, ele foi revelado pelo Palmeiras e passou por várias equipes, incluindo uma participação bem-sucedida com o XV de Piracicaba no Paulistão de 2015, em que marcou sete gols em 15 jogos. Foto: Divulgação

<p>Mateus Lima é o jogador da lista que passou pelo Brasil mais recentemente, fazendo parte do Time B do Santos em 2016 após marcar sete gols na temporada 2015/16 do Campeonato Albanês pelo Kukesi. Depois da passagem pelo time praiano, ele desembarcou na Sérvia, onde é o artilheiro do Borac Cacak na temporada atual, com quatro gols em dez jogos. Foto: Divulgação </p>
Mateus Lima – Borac Cacak (Sérvia)

Mateus Lima é o jogador da lista que passou pelo Brasil mais recentemente, fazendo parte do Time B do Santos em 2016 após marcar sete gols na temporada 2015/16 do Campeonato Albanês pelo Kukesi. Depois da passagem pelo time praiano, ele desembarcou na Sérvia, onde é o artilheiro do Borac Cacak na temporada atual, com quatro gols em dez jogos. Foto: Divulgação

<p>Eric Pereira é um meia brasileiro que começou sua carreira no Metropolitano, de Santa Catarina, em 2007, e foi emprestado ao Gaz Metan Medias, da segunda divisão romena, ajudando o clube a subir para a primeira divisão. Desde então, ele nunca voltou ao Brasil. Com 31 anos, o meia hoje é um dos destaques do Viitorul Constanta, o atual campeão da Romênia. Foto: Divulgação </p>
Eric Pereira – Viitorul Constanta (Romênia)

Eric Pereira é um meia brasileiro que começou sua carreira no Metropolitano, de Santa Catarina, em 2007, e foi emprestado ao Gaz Metan Medias, da segunda divisão romena, ajudando o clube a subir para a primeira divisão. Desde então, ele nunca voltou ao Brasil. Com 31 anos, o meia hoje é um dos destaques do Viitorul Constanta, o atual campeão da Romênia. Foto: Divulgação

<p>Vice-campeão da Liga Europa em sua segunda temporada como profissional no Braga em 2010/11, o meia carioca foi para o Legia Varsóvia em 2013/14 e virou uma parte fundamental da equipe da capital polonesa, contribuindo com três títulos da liga nacional e mais dois da copa local. Foto: Getty Images </p>
Guilherme – Legia Varsóvia (Polônia)

Vice-campeão da Liga Europa em sua segunda temporada como profissional no Braga em 2010/11, o meia carioca foi para o Legia Varsóvia em 2013/14 e virou uma parte fundamental da equipe da capital polonesa, contribuindo com três títulos da liga nacional e mais dois da copa local. Foto: Getty Images

<p>Após começar sua carreira como professional na Portuguesa Santista e atuar pelo Londrina, Leandrinho tem uma lista curiosa de países pelo quais passou: Bélgica, Costa Rica (em três oportunidades), Portugal, Irã, Arábia Saudita, Guatemala e México. Por fim, desde 2015 o atacante está na Turquia, colaborando com a subida do Sivasspor para a primeira divisão na última temporada. Foto: Divulgação </p>
Leandrinho – Sivasspor (Turquia)

Após começar sua carreira como professional na Portuguesa Santista e atuar pelo Londrina, Leandrinho tem uma lista curiosa de países pelo quais passou: Bélgica, Costa Rica (em três oportunidades), Portugal, Irã, Arábia Saudita, Guatemala e México. Por fim, desde 2015 o atacante está na Turquia, colaborando com a subida do Sivasspor para a primeira divisão na última temporada. Foto: Divulgação

<p>Revelado pelas categorias de base do Fluminense, Rodolfo Soares não teve muito sucesso no Brasil, mas foi para Malta em 2011 e desde então, tirando uma pequena passagem pelo Líbano, é um dos principais jogadores do Hibernians. Em seis temporadas com a equipe, o zagueiro ajudou na conquista de duas copas e duas ligas nacionais, além de quatro vice-campeonatos. Foto: Divulgação </p>
Rodolfo Soares – Hibernians (Malta)

Revelado pelas categorias de base do Fluminense, Rodolfo Soares não teve muito sucesso no Brasil, mas foi para Malta em 2011 e desde então, tirando uma pequena passagem pelo Líbano, é um dos principais jogadores do Hibernians. Em seis temporadas com a equipe, o zagueiro ajudou na conquista de duas copas e duas ligas nacionais, além de quatro vice-campeonatos. Foto: Divulgação

<p>Com passagens em inúmeros times do interior paulista e na equipe B do Palmeiras em 2011, o volante Everton Luiz achou seu espaço jogando na Suíça, onde atuou por Lugano e St. Gallen. Desde 2015/16, ele atua pelo Partizan, da Sérvia, e participou de 29 das 37 partidas da temporada 2016/17, em que o clube alvinegro foi campeão da liga local. Foto: Getty Images </p>
Everton Luiz – Partizan (Sérvia)

Com passagens em inúmeros times do interior paulista e na equipe B do Palmeiras em 2011, o volante Everton Luiz achou seu espaço jogando na Suíça, onde atuou por Lugano e St. Gallen. Desde 2015/16, ele atua pelo Partizan, da Sérvia, e participou de 29 das 37 partidas da temporada 2016/17, em que o clube alvinegro foi campeão da liga local. Foto: Getty Images

<p>Depois de passar por Santo André e Mogi Mirim em 2009 e 2010, respectivamente, o atacante Ricardinho foi para a Polônia e ficou lá por três temporadas. Mas onde ele se achou de verdade foi na Moldávia, sendo o artilheiro do Sheriff Tiraspol em duas temporadas diferentes, incluindo no título nacional de 2016/17. O bom ano chamou a atenção do Estrela Vermelha, da Sérvia, que o contratou para a atual temporada. Foto: Getty Images </p>
Ricardinho – Estrela Vermelha (Sérvia)

Depois de passar por Santo André e Mogi Mirim em 2009 e 2010, respectivamente, o atacante Ricardinho foi para a Polônia e ficou lá por três temporadas. Mas onde ele se achou de verdade foi na Moldávia, sendo o artilheiro do Sheriff Tiraspol em duas temporadas diferentes, incluindo no título nacional de 2016/17. O bom ano chamou a atenção do Estrela Vermelha, da Sérvia, que o contratou para a atual temporada. Foto: Getty Images

Leia também