Cotia rende R$ 212 milhões para o São Paulo nos últimos 5 anos

Por Rodrigo Herrero

Se os jogadores revelados pelo São Paulo no seu Centro de Formação de Atletas em Cotia não chegam a vingar com a camisa da equipe, ao menos eles ajudam a encher os cofres do clube. A transferência do jovem David Neres para o Ajax, por exemplo garantiu 40 milhões ao Tricolor, e mais bonificações poderão vir no futuro (veja mais neste post). Nos últimos cinco anos, o São Paulo arrecadou 212 milhões de reais com a venda de jovens atletas de suas categorias de base. Isso apenas citando os de maior destaque e que eram promessas para o time profissional. Confira o quanto cada uma rendeu ao clube do Morumbi.

Cotia rende R$ 212 milhões para o São Paulo nos últimos 5 anos

Henrique – Artilheiro, melhor jogador e campeão mundial com a Seleção Brasileira sub-20 em 2011. Um grande currículo na base possui o atacante Henrique, hoje no Coritiba. Quando surgiu em 2009 no Tricolor ele foi destaque da Copa São Paulo. Porém, com uma carreira profissional inconstante, acabou emprestado para vários times, até em 2013 o Botafogo contratá-lo por R$ 2,8 milhões. Hoje ele está no Coritiba, emprestado pelo Grêmio. Foto: Gazeta Press. Texto por Rodrigo Herrero

Cotia rende R$ 212 milhões para o São Paulo nos últimos 5 anos

Lucas Evangelista – Com apenas 33 jogos e dois gols pelo São Paulo, o meia Lucas Evangelista foi negociado em 2014 para a Udinese por R$ 7,1 milhões por 60% dos seus direitos econômicos. Porém, o atleta já não fazia mais parte do elenco por conta de divergências de contrato entre o jogador e o Desportivo Brasil, que também detinha parte do seu passe. Hoje o meia defende o Panathinaikos, da Grécia, emprestado pelos italianos. Foto: Gazeta Press

Cotia rende R$ 212 milhões para o São Paulo nos últimos 5 anos

Bruno Uvini – Da mesma geração que Lucas, Casemiro e Oscar, o zagueiro Bruno Uvini era cotado para ser titular dos profissionais do Tricolor. Campeão mundial sub-20 com a Seleção Brasileira e prata na Olimpíada de Londres, Uvini despertou o interesse do Napoli, que ofereceu, à época, R$ 7,8 milhões. O zagueiro já foi emprestado para o Siena, da Itália, para o Twente, da Holanda, e também chegou a defender o Santos em 2014. Hoje ele está no Al Nassr, da Arábia Saudita. Foto: Gazeta Press

Cotia rende R$ 212 milhões para o São Paulo nos últimos 5 anos

Ewandro – Pouco aproveitado no São Paulo, o atacante foi emprestado ao Atlético-PR no ano passado, em um acerto a uma dívida antiga que os paulistas tinham com os paranaenses por conta da contratação do zagueiro Rodolfo, em 2010. No entanto, a Udinese se interessou pelo atacante e o contratou por R$ 11,3 milhões, sendo que R$ 8,4 milhões foram para o clubee o restante ficou com o time de Curitiba. Foto: Gazeta Press

Cotia rende R$ 212 milhões para o São Paulo nos últimos 5 anos

Ademilson – Ademilson defendeu o São Paulo em 114 oportunidades e anotou 15 gols. Mesmo com esse período defendendo a camisa tricolor, foi emprestado para o Yokohama Marinos em 2015 e, em 2016, foi para o Gamba Osaka, que em outubro adquiriu o atleta em definitivo. Por 60% dos direitos econômicos, o time brasileiro recebeu a bagatela de R$ 10,1 milhões. Os 40% restantes permanecem com o São Paulo. Foto: Gazeta Press

Cotia rende R$ 212 milhões para o São Paulo nos últimos 5 anos

Oscar – O imbróglio envolvendo o meia Oscar começou em 2009, mas foi ter desfecho apenas em 2012. Mesmo com o jogador entrando na Justiça contra o clube, com a alegação de que teria sido coagido pela diretoria a assinar um contrato, e ter se transferido para o Internacional, o São Paulo conseguiu receber R$ 15 milhões. E até hoje o atleta rende ao time do Morumbi. Por ser o clube formador, o São Paulo recebeu pelas transferência do meia, primeiro para o Chelsea, e agora para o Xangai SPIG, da China. Foto: Gazeta Press

Cotia rende R$ 212 milhões para o São Paulo nos últimos 5 anos

Casemiro – Uma grande esperança dos dirirgentes são-paulinos, o volante Casemiro não rendeu o esperado e virou um problema no clube. Ainda assim, após a conquista da Copa Sul-Americana, o São Paulo conseguiu emprestar o atleta ao Real Madrid, com preço do passe estipulado. Seis meses depois fechou a venda por R$ 15,8 milhões. Após um período no Real B e no Porto, Casemiro virou uma das principais peças do meio madridista e é titular absoluto do técnico Zidane. Foto: Gazeta Press

Cotia rende R$ 212 milhões para o São Paulo nos últimos 5 anos

Boschilia – Havia muita confiança no desempenho do jovem meia Boschilia na equipe profissional. Porém, com pouco aproveitamento e diante de uma proposta praticamente irrecusável, ele deixou o São Paulo em agosto de 2015 para jogar no Monaco, da França. A negociação girou em torno de R$ 34 milhões, sendo que R$ 25 milhões ficaram no Morumbi. O então técnico colombiano Juan Carlos Osorio sofria com um verdadeiro desmanche no clube, com muitas vendas de jogadores e problemas de relacionamento com o presidente Carlos Miguel Aidar, fatos que provocaram a sua saída. Foto: Gazeta Press

Cotia rende R$ 212 milhões para o São Paulo nos últimos 5 anos

David Neres – Prestes a completar 20 anos, David Neres teve uma ascensão meteórica. Com apenas oito partidas e três gols pelo time profissional do São Paulo em 2016, virou esperança de recolocar o clube no caminho das vitórias, em companhia de outras pratas da casa e com Rogério Ceni, que se espera que aproveite melhor a base. Porém, a proposta do Ajax, da Holanda, de R$ 51 milhões (sendo R$ 40,8 milhões fixos e o restante dependendo de metas coletivas e individuais a serem atingidas pelo atacante) fez a joia ir embora. Com a Seleção Brasileira Sub-20 em disputa do Sul-Americano, Neres nem chegou a ser treinado por Ceni, que se vê desfalcado na posição. Foto: Gazeta Press

Cotia rende R$ 212 milhões para o São Paulo nos últimos 5 anos

Lucas – A maior transação da história do São Paulo pertence a Cotia. O atacante Lucas, antes conhecido como Marcelinho e que passou pela base do Corinthians, rendeu à época R$ 81 milhões, sendo que a negociação toda girou em torno de R$ 108 milhões. Negociado com o PSG em agosto de 2012, ao menos o alteta ficou até o fim daquele ano e ajudou a equipe a conquistar a Copa Sul-Americana, último título do clube. No time francês, Lucas ganhou várias competições nacionais e segue como destaque. Foto: Getty Images. Texto por Rodrigo Herrero