10 provocações dentro de campo que deram o que falar

Por Vinicius Galante

Alguns atletas gostam de polêmica e tripudiam com os adversários sem se preocupar com as consequências de seus atos. Relembre algumas das maiores provocações entre jogadores no futebol.

10 provocações dentro de campo que deram o que falar

Souza (Flamengo) – Já teve jogador que provocou um rival que nem era seu adversário. Em 2008, o atacante Souza marcou um gol contra o Cienciano, do Peru, e comemorou fazendo o gesto de choro. Os alvos da piada foram os jogadores do Botafogo, que tinham perdido o título carioca para o rival rubro-negro poucos dias antes e reclamaram muito da arbitragem. (Foto: Gazeta Press)

10 provocações dentro de campo que deram o que falar

Edmundo (Vasco) – Assim, como Viola, Edmundo inventou de provocar um rival num jogo de ida de uma decisão. Na primeira partida decisiva do Estadual do Rio de 1997, o atacante vascaíno fez a “Dança do Bumbum” para provocar o seu marcador Gonçalves, do Botafogo.
Pior para Edmundo que o Botafogo venceu o jogo de volta, foi campeão e o elenco inteiro do alvinegro resolveu devolver a dancinha provocativa com a taça na mão. (Foto: Gazeta Press)

10 provocações dentro de campo que deram o que falar

Tevez (Boca Juniors) – Tevez era uma jovem revelação do Boca Juniors quando, em 2004, marcou um gol contra o River Plate na casa do rival e comemorou imitando uma galinha, alusão ao apelido pejorativo do time adversário. Menos mal para o atacante que seu time ganhou aquele confronto e passou para a final da Libertadores. (Foto: Gazeta Press)

10 provocações dentro de campo que deram o que falar

Viola (Corinthians) – Viola fez o único gol da vitória do Corinthians sobre o Palmeiras na partida de ida da final do Campeonato paulista de 1993 e imitou um porco para provocar o rival. No jogo de de volta, o time alviverde fez 4 a 0, conquistou o título e devolveu a pirraça em campo. (Foto: Gazeta Press)

10 provocações dentro de campo que deram o que falar

Edilson (Corinthians) – O Palmeiras tinha acabado de conquistar o título da Libertadores de 1999 e alguns jogadores do time resolveram pintar o cabelo de verde para comemorar. Poucos dias depois, a equipe alviverde decidiu o título paulista contra o Corinthians, que encarou a festa palmeirense como comemoração.
Quando o título corintiano já estava garantido, o atacante Edilson resolveu fazer embaixadinhas no meio do jogo para fustigar os rivais. O gesto deu início a uma confusão generalizada e o jogo sequer terminou.
Pior para Edilson, que acabou cortado da Copa América porque o então técnico da seleção brasileira, Vanderlei Luxemburgo, considerou que o jogador teve uma atitude antidesportiva.
(Foto: Gazeta Press)

10 provocações dentro de campo que deram o que falar

Neymar (Paris Saint-Germain) – Insatisfeito com as entradas que recebeu do lateral Anthony Ralston, o atacante brasileiro Neymar se recusou a cumprimentar o jogador do Celtic após partida válida pela Liga dos Campeões e ainda fez um gesto obsceno em direção ao rival. A atitude do brasileiro após a vitória do PSG por 5 a 0 foi bastante criticada pela imprensa espanhola. (Foto: Gazeta Press)

10 provocações dentro de campo que deram o que falar

Sasha (Internacional) – O Internacional se tornou hexacampeão gaúcho em 2016 após vencer o Juventude na decisão, mas não foi o rival de Caxias do Sul a vítima das provocações. Autor de um dos gols, Sasha comemorou dançando valsa com a bandeirinha de escanteio para provocar o Grêmio, que não conquistava um título nacional fazia 15 anos. O tricolor gaúcho conquistou a Copa do Brasil no fim daquele ano, quebrou o jejum e ainda viu o rival Inter cair para a Série B do Campeonato Brasileiro. (Foto: Gazeta Press)

10 provocações dentro de campo que deram o que falar

Felipe Melo – Felipe Melo é o rei das provocações. Quando jogava no Galatasaray, da Turquia, o brasileiro foi expulso e fez sinais provocativos para a torcida do Besiktas. Os “ultras” não gostaram, invadiram o campo e partida do Campeonato Turco sequer chegou ao fim. Já no Palmeiras, o volante participou da vitória do time alviverde sobre o Santos na Vila Belmiro e tirou sarro da baixa presença de público no estádio da equipe adversária. (Foto: Gazeta Press)

10 provocações dentro de campo que deram o que falar

Maicon (São Paulo) – O ex-são-paulino Maicon imitou uma galinha depois de marcar pelo São Paulo contra o Corinthians, no Campeonato paulista deste ano. O rival empatou o jogo e devolveu a provocação em seu site oficial. Autor do gol de empate, Jô foi chamado pelo clube de Parque São Jorge de God of Clássicos, uma clara referência a Maicon, conhecido por alguns são-paulinos como God of Zaga. (Foto: Gazeta Press)

10 provocações dentro de campo que deram o que falar

Diego (Santos) – Em 2002, Diego marcou um gol pelo Santos contra o São Paulo e comemorou em cima do escudo do time rival no Morumbi. Os jogadores rivais não gostaram da provocação e foram tirar satisfações. Aquele jogo foi vencido pelo São Paulo por 3 a 2, mas o campeão da competição foi o Santos. (Foto: Gazeta Press)