10 piores momentos da Ferrari na Fórmula 1

Por Vinicius Galante

Sem medo de errar, é possível dizer que a Ferrari é a equipe que mais atrai torcedores na Fórmula 1 e está na categoria desde o começo. Mesmo com toda essa tradição, o time de Maranello já teve fases ruins na principal categoria do automobilismo. Veja 10 momentos que todo ferrarista gostaria de esquecer.

 

1980 – 1981

O carro da Ferrari para a temporada de 1980 da Fórmula 1, o 312 T5 tinha uma estrutura obsoleta tubular em um momento em que a maioria dos monopostos da categoria já migrava para o modelo turbo. Sem chances de competir para valer, os pilotos Gilles Villeneuve e Jody Scheckter foram se desmotivando ao longo da temporada e a melhor colocação que conseguiram em uma corrida foi um quinto lugar. Com tantos problemas, a tradicional escuderia acabou em décimo no campeonato de construtores, pior colocação da história até agora. Em 1981, já com um carro melhor, a equipe melhorou, mas não conseguiu ir além de um quinto lugar na classificação geral. Foto: AP

1962 – 1963

O ano de 1962 foi trágico para a Ferrari. A equipe teve uma temporada ruim em grande parte por convulsões internas, mas também pelo fato de as rivais terem melhorado. Além disso, o time italiano sofreu com a perda de um jovem piloto. O mexicano Ricardo Rodríguez, que correu a temporada regular daquele ano pela equipe, transferiu-se para a Rob Walker depois que a Ferrari optou por não correr o GP do México, prova que não valeu pontos para o campeonato. Ele morreu ao sofrer um acidente nos treinos para corrida. Sem vitórias, a escuderia acabou aquela temporada na sexta posição. Já o ano de 1963 foi de transição para a Ferrari. John Surtees era o único piloto competitivo da escuderia e ganhou uma prova, o GP da Alemanha, mas a equipe não passou de um quarto lugar no Mundial de Construtores. Foto: AP

1967 -1969

O ano de 1967 ficou marcado na Ferrari pela morte do piloto Lorenzo Bandini em um acidente durante o GP de Mônaco, segunda prova da temporada. A equipe terminou o Mundial de Construtores em quinto lugar. Em 1968, ainda traumatizada com a morte de Bandini no ano anterior, a Ferrari se recusou a participar do GP de Mônaco alegando falta de segurança. No restante do campeonato, o desempenho não foi bom e a equipe terminou o ano na quarta colocação dos Construtores. Irregularidade foi a palavra que resumiu a temporada de 1969 da Ferrari. Os carros da equipe não completaram seis etapas e a escuderia ficou apenas em sexto lugar. Foto: AP

1986 – 1987

Em 1986, a dupla Michelle Alboreto (foto) e Stefan Johansson decepcionou nas pistas e a Ferrari terminou a disputa da temporada em quarto lugar. Foram cinco pódios durante a competição. No ano seguinte, o substituto de Johansson, Gerhard Berger, elevou o desempenho do time e venceu as últimas duas provas da temporada, mas a equipe novamente terminou a temporada em quarto lugar. Foto: AP Photo/Tony Valainis

1992

O carro F92A foi um dos mais problemáticos que a Ferrari já desenvolveu para a Fórmula 1. Com problemas aerodinâmicos, os pilotos Jean Alesi (foto), Ivan Capelli e Nicola Larini não conseguiram competir com Williams, McLaren e Benneton. Foto: AP Photo/Gilles Collignon

1993

A Ferrari não conseguiu se recuperar na temporada de 1993 e acabou novamente em quarto lugar no Mundial de Construtores. Gerhard Berger conseguiu um terceiro lugar no GP da Hungria, enquanto Jean Alesi foi ao pódio em San Marino e na Itália. Resultados modestos para uma equipe tão tradicional. Foto: AP Photo/Luca Cattaneo

2005

Depois de seis títulos consecutivos de construtores, a Ferrari concebeu um carro totalmente desajustado para 2005. O F2005 não conseguiu competir com Renault e McLaren e Rubens Barrichello e Michael Schumacher ficaram para trás. A única vitória aconteceu no GP dos Estados Unidos, em que apenas seis carros competiram. As equipes que usavam pneu Michelin não foram para a pista alegando falta de segurança. Foto: AP

2009

O ano de 2009 ficou marcado por um acidente que interrompeu a temporada de Felipe Massa na Ferrari. O brasileiro foi atingido por uma mola que escapou do carro do compatriota Rubens Barrichello e teve de se afastar do restante da competição. O seu substituto, Luca Badoer e o outro piloto, Giancarlo Fisichella, não foram bem e a equipe fechou a temporada na quarta posição, com dois pódios conquistados. Foto: AP Photo/Luca Bruno

2014

Embora tenha contado com os campeões mundiais Fernando Alonso e Kimi Raikkonen, a Ferrari não conseguiu competir com Mercedes, Red Bull e Williams durante a temporada 2014. Alonso ficou aquém do esperado, mas ainda conseguiu dois pódios. O máximo que Raikkonen obteve foi um pódio na Bélgica. Foto: AP

2016

A Ferrari novamente decepcionou em 2016 com dois campeões mundiais na equipe. De Kimi Raikkonen não se esperava muito, mas a decepção maior foi o tetracampeão Sebastian Vettel, que não venceu nenhuma prova durante o campeonato. Foto: AP