10 maiores cavalos paraguaios do Brasileirão por pontos corridos

Por Rodrigo Herrero (@rodrigoherrero)

Começar bem o Campeonato Brasileiro nem sempre quer dizer que o time irá ser campeão ou beliscar ao menos uma vaga para a Libertadores. Há inúmeros casos em que as equipes, após início empolgante, decaem e acabam frustrando seu torcedor. Algumas vezes, os times são até rebaixados. Confira 10 exemplos de cavalos paraguaios que largaram na frente, mas perderam o fôlego e ficaram pelo caminho.

Vale destacar que levamos em consideração apenas equipes que tiveram uma boa arrancada no início do Brasileirão. Por isso, descartamos as campanhas de Grêmio (2008) e Palmeiras (2009), que cresceram no meio da disputa, mas acabaram não mantendo o ritmo forte no final.

10 maiores cavalos paraguaios do Brasileirão por pontos corridos


Internacional – O Internacional alcançara o céu nas primeiras oito rodadas do Campeonato Brasileiro de 2016. Com seis vitórias, um empate e apenas uma derrota, o Colorado liderava a competição e demonstrava um futebol sólido. De repente, despencou ao inferno. A equipe ficou seis partidas sem vencer, Argel Fucks foi demitido, Falcão foi contratado, durou menos de um mês e o Inter não mais se achou no torneio. Resultado: queda inédita para a Série B de 2017. (Gazeta Press)

10 maiores cavalos paraguaios do Brasileirão por pontos corridos

Santa Cruz – O Santa Cruz foi um cavalo tipicamente paraguaio em sua breve passagem pela Série A, em 2016. Nas primeiras quatro rodadas, venceu dois jogos por goleada, marcou 11 gols e liderou a tabela, tendo Grafite como destaque, o que deixou a torcida e a imprensa pernambucana empolgadas. Porém, a queda veio logo, a sequência de resultados negativos se tornou uma constante e o rebaixamento ocorreu tão rápido como o fim do sonho do título por parte do Santinha, que terminou na vice-lanterna da Série A. (Gazeta Press)

10 maiores cavalos paraguaios do Brasileirão por pontos corridos

Atlético-MG – O Galo é um dos maiores cavalos paraguaios dos pontos corridos. Em três oportunidades liderou o campeonato no começo, mas acabou ficando para trás. Em 2009, o Atlético-MG chegou a liderar entre a 6ª e a 8ª rodada e da 10ª até a 14ª, mas não manteve o ritmo e perdeu espaço para o Internacional e o Palmeiras, que passaram a duelar, até o Flamengo crescer na reta final e levar a taça. Em 2012, os mineiros pontearam o torneio da sétima até a 21ª rodada, mas não tiveram fôlego para superar o Fluminense, que vinha embalado, o ultrapassou na 22ª rodada e foi rumo ao título daquele ano. O Galo seguiu tentando, mas acabou como vice-campeão. Três anos depois, novamente iniciou bem o torneio e liderou entre as rodadas 11 a 17. Mas viu o Corinthians chegar, ultrapassar e levar o campeonato. Ficou de novo em segundo lugar. (Gazeta Press)

10 maiores cavalos paraguaios do Brasileirão por pontos corridos

Sport – O Sport teve uma bela campanha em 2015. Chegou a ficar em primeiro por cinco rodadas, brigou bastante com os adversários, mas passou por uma sequência negativa de resultados após perder a liderança na 11ª rodada e viu o sonho do bicampeonato nacional morrer. Terminou o Campeonato Brasileiro em sexto lugar. (Gazeta Press)

10 maiores cavalos paraguaios do Brasileirão por pontos corridos

Corinthians – O Corinthians já teve a sua vez de cavalo paraguaio, embora quase tenha ficado com o caneco. Em 2010, a equipe começou disparando na ponta e ficou sem ver ninguém a sua frente por oito rodadas seguidas. Seu predomínio acabou na 12ª, quando o Fluminense assumiu a liderança. O Timão continuou brigando, chegou a retomar a frente entre as rodadas 23 e 24 e, após nova queda, voltou à ponta na 35ª, mas o Flu se manteve firme e ficou com a taça. Ao Alvinegro restou a terceira colocação e uma vaga na Libertadores como consolação. (Gazeta Press)

10 maiores cavalos paraguaios do Brasileirão por pontos corridos

Flamengo – O Flamengo teve uma boa arrancada no Campeonato Brasileiro de 2008. Com vitórias seguidas, permaneceu na ponta da 5ª até a 13ª rodada. Contudo, uma sequência de sete partidas sem vitória fez o Mengão despencar na tabela de classificação. No final das contas, a equipe se recuperou e ainda ficou em quinto lugar naquele ano. (Gazeta Press)

10 maiores cavalos paraguaios do Brasileirão por pontos corridos


Botafogo – O botafoguense lembra com tristeza do Brasileiro de 2007. Isso porque, o Fogão liderou por 11 rodadas, sendo nove seguidas (da 8ª à 16ª), em um início avassalador. Porém, ao empatar sem gols com o Paraná, em Curitiba, o Botafogo perdeu a ponta da tabela para o São Paulo – 33 pontos a 32. Na rodada seguinte, o confronto que poderia valer o título: Botafogo x São Paulo, no Maracanã. Os cariocas, porém, não foram páreos para o Tricolor, que venceu por 2 a0 e arrancou para o bicampeonato. (Gazeta Press)

10 maiores cavalos paraguaios do Brasileirão por pontos corridos

Criciúma – O início do Brasileirão de 2004 foi bem equilibrado, o que permitiu que times menores sobressaíssem no começo. Caso do Figueirense, que chegou a liderar poucas rodadas, mas foi superado pelo Criciúma, que ponteou o campeonato entre a sétima e a 10ª rodada. A torcida já falava em título, a cidade se empolgou, mas a equipe ficou seis jogos sem vencer, afundou na classificação e acabou rebaixada na última rodada, após empatar por 3 a 3 com o Coritiba, em casa. (Gazeta Press)

10 maiores cavalos paraguaios do Brasileirão por pontos corridos

Cruzeiro – O Cruzeiro começou bem o Brasileiro de 2006 e chegou a liderar a competição em quatro rodadas (6ª e 7ª e 10ª e 11ª). No entanto, uma fase tétrica de oito jogos sem vitória iria afastar de vez a Raposa do título. Para piorar, essa sequência ruim foi encerrada com um empate por 2 a 2, no Mineirão, diante do São Paulo, que considera essa partida como a marca da retomada tricolor ao título daquele ano. Isso porque, três dias antes, o São Paulo perdera a final da Libertadores para o Internacional. Mesmo assim, os comandados de Muricy Ramalho tiraram forças para empatar com os cruzeirenses, em grande atuação de Rogério Ceni, que defendeu um pênalti e anotou dois gols naquele jogo, superando o paraguaio Chilavert como o maior goleiro-artilheiro do mundo. Uma história de amargar para os alvicelestes, que terminaram aquela edição do Nacional em 10º lugar. (Gazeta Press)

10 maiores cavalos paraguaios do Brasileirão por pontos corridos

Ponte Preta – A Ponte Preta teve um início avassalador na edição de 2005 do torneio nacional. Sob o comando de Vadão, liderou a competição por oito rodadas (entre a 8ª e a 15ª), deixando parte de Campinas animada, embora surpresa, com o rendimento do clube. Porém, Vadão saiu, a Macaca empatou com o Inter em casa e perdeu a liderança para o Corinthians, que ainda iria ganhar da rival campineira na rodada seguinte e seguir o caminho do título. A Ponte acabou terminando a temporada na 18ª colocação, a dois pontos do rebaixamento. (Gazeta Press)