10 jogadores de seleção que atuam na China

O futebol chinês virou, a partir de 2015, o eldorado do boleiro que deseja ganhar milhões, mesmo que tenha de ficar longe dos olhos da grande mídia. Ao pagar salários exorbitantes até comparados com os padrões europeus e turbinado por receitas que têm origem no governo comunista, atletas de fama foram atraídos para o país asiático. Os dois nomes de maiores salários do futebol mundial estão na China. Em alguns casos, isso os deixou longe de suas seleções nacionais. Mas há outros que continuam chamados ou têm pelo menos chance retornarem às seleções a tempo de disputar a Copa do Mundo no próximo ano, na Rússia.

Por Sandro Biaggi

10 jogadores de seleção que atuam na China

10. Renato Augusto (Meia, Beijing Sinobo Guoan) – Armador que um dia ficou conhecido pelas constantes lesões, Renato Augusto reapareceu no Corinthians campeão brasileiro de 2015, quando foi escolhido o melhor jogador da competição. Por causa da campanha, acabou contratado pelo futebol chinês em janeiro de 2016. A distância não impediu Tite de considerá-lo titular da seleção brasileira já classificada para a Copa do Mundo de 2018.

10 jogadores de seleção que atuam na China

9. Paulinho (Volante, Guangzhou Evergrande) – Para a seleção brasileira, Paulinho renasceu na China. Integrante do elenco na Copa de 2014, ele ficou em baixa no Tottenham Hotspur, da Inglaterra, com dificuldade para se adaptar ao esquema tático. Felipão o levou para a Ásia em 2015 e sua equipe, Guangzhou Evergrande, é a melhor da China. Com a chegada de Tite à CBF, ele voltou a ser titular e peça fundamental na seleção. É nome certo no Mundial de 2018. No seu clube também está o atacante Jackson Martínez, possível convocado da Colômbia para o torneio na Rússia.

10 jogadores de seleção que atuam na China

8. Oscar (Meia, Shanghai SIPG) – O autor do gol brasileiro no histórico 7 a 1 da Alemanha saiu do Chelsea em 2016 e foi para a China receber o segundo maior salário do futebol mundial: R$ 8 milhões por mês. Ele foi comprado por cerca de R$ 250 milhões. Esquecido por Tite nas últimas convocações, briga por uma vaga na seleção na vaga que hoje é de Renato Augusto.

10 jogadores de seleção que atuam na China

7. John Obi Mikel (Volante, Tiajin TEDA) – O nigeriano já foi considerado uma das grandes promessas do futebol mundial, alvo de briga entre Chelsea e Manchester United, com o primeiro clube levando a melhor. Mas Mikel jamais foi o que se esperava. Desde 2005, é um nome rotineiro nas convocações da Nigéria. Ele apenas participou da Copa de 2014. Sua seleção não se classificou em 2006 e em 2010, ele estava lesionado e ficou fora. Em janeiro deste ano, chegou à China em uma transferência gratuita.

10 jogadores de seleção que atuam na China

6. Ighalo (Atacante, Changchun Yatai) – O atacante nigeriano escapou da pobreza e venceu no futebol passando por clubes pequenos como o Lyn, da Noruega. A Udinese o emprestou para Granada, Cesena e Watford (todos do mesmo dono). Foi no clube inglês que teve destaque, formando dupla de ataque com Troy Deeney e chamou a atenção do Changchu Yatai, que o comprou por R$ 100 milhões no final de janeiro deste ano. Por causa do Watford, foi “descoberto” pela seleção da Nigéria em 2015 e tem sido chamado desde então. No ano passado, jogou a Olimpíada do Rio como um dos três jogadores acima dos 23 anos.

10 jogadores de seleção que atuam na China

5. Graziano Pellè (Atacante, Shandong Luneng Taishan) – Centroavante que explodiu tarde na carreira, é um dos candidatos a estar na Copa do Mundo da Rússia e participou da campanha da seleção italiana na última Eurocopa. Seus gols pelo Feyenoord da Holanda o levaram para o Southampton, da Inglaterra. Um salário de R$ 5,6 milhões por mês o seduziu para ir à China em 2016, aos 31 anos.

10 jogadores de seleção que atuam na China

4. Gervinho (Meia, Hebei China Fortune) – Meia que ficou conhecido, nos dois anos que ficou no Arsenal, como meia-atacante com muito mais capacidade de criar chances do que convertê-las. Titular no Mundial de 2014, é uma das peças mais conhecidas da seleção da Costa do Marfim. Por lesão, perdeu a Copa Africana de Nações deste ano por lesão. Foi um dos principais reforços do Hebei China Fortuna em janeiro de 2016, quando a equipe chegou à primeira divisão.

10 jogadores de seleção que atuam na China

3. Ezequiel Lavezzi (Atacante, Hebei China Fortune) – Um dos nomes questionados nas convocações para a seleção argentina, Lavezzi é querido pelos treinadores e demais atletas. O contrário de Tevez. Titular na última final da Copa do Mundo, ele foi em 2016 para a China com salário estimado em R$ 4,2 milhões por mês. Seu desempenho tem sido decepcionante, com lesões e nenhum gol marcado até o momento em que este texto é escrito.

10 jogadores de seleção que atuam na China

2. Carlos Tevez (Atacante, Shanghai Greenland Shenhua) – A pouco mais de um ano da Copa do Mundo, os defensores de Carlos Tevez na Argentina começaram a colocar as mangas de fora. O ex-artilheiro do Boca Juniors (que já fala em voltar ao clube) tem amigos na imprensa do país e é bom de lobby. Isso não foi o bastante para levá-lo para o Mundial de 2014, em grande parte porque há jogadores influentes da seleção que não gostam dele. Na China, Tevez tem o maior salário do futebol mundial, recebendo inacreditáveis R$ 10 milhões por mês.

10 jogadores de seleção que atuam na China

1. Axel Witsel (Meia, Tianjin Quanjian) – Um dos integrantes da geração belga semifinalista da última Eurocopa, Witsel já esteve na mira dos principais clubes europeus. O Zenit Saint Petersburg, da Rússua, teve de pagar 40 milhões de euros, em 2012, para derrotar o interesse de times como Manchester City, Chelsea e Juventus. Mas não houve como segurá-lo em janeiro deste ano, quando apareceu proposta do Tianjin Quanjian. Ele é um dos nomes prováveis da Bélgica na Copa de 2018.