10 desmanches pós-rebaixamento

Queda, degola, segunda divisão, Série B. Não há nada que assuste mais um torcedor brasileiro do que o fantasma do rebaixamento. Há diversos clubes grandes brasileiros que já enfrentaram este drama, e quanto maior é a torcida, maior a pressão da mídia e a cobrança das arquibancadas. Terminada uma temporada com rebaixamento, as dispensas de jogadores são naturais e costumam ser em grande escala. O Internacional, que caiu no Brasileirão do ano passado, por exemplo, dispensou 25 atletas. Confira outros desmanches pós-rebaixamento realizados por grandes clubes do Brasil na Era dos pontos corridos.

Por Caio Calazans (@cabrito13)

10 desmanches pós-rebaixamento

Vasco 2015 – A Série A de 2015 foi um tremendo pesadelo para todos os vascaínos, afinal o clube acabava de voltar a subir para a primeira divisão e seria novamente rebaixado. O Vasco lutou muito mas acabou a disputa na 18ª colocação, a apenas dois pontos de escapar da queda para a segundona. Após a tragédia do rebaixamento saíram do clube 19 jogadores, entre eles o zagueiro Anderson Salles, o meia argentino Guiñazu (Ex-Internacional) e os atacantes argentinos Herrera (ex-Corinthians) e Emmanuel Biancucchi (primo de Lionel Messi). Foto: Gazeta Press

10 desmanches pós-rebaixamento

Botafogo 2014 – O Campeonato Brasileiro de 2014 foi um pesadelo para o Botafogo, que terminou com modestíssimos 34 pontos, na penúltima colocação na tabela. Ainda antes do final daquele ano, a lista de dispensas divulgada pelo clube relacionou 17 atletas. Entre os dispensados destaque para os meias Carlos Alberto (hoje no Atlético Paranaense), o argentino Bolatti, o peruano ‘Cachito’ Ramirez (Ex-Corinthians) e o atacante Wallysson. Foto: Gazeta Press

10 desmanches pós-rebaixamento

Vasco 2013 – Uma grande polêmica envolvendo Portuguesa, Flamengo e Fluminense aconteceu no final do Campeonato Brasileiro de 2013. Alheio a tudo isso, o Vasco terminou o ano com os mesmos 44 pontos da Portuguesa e foi rebaixado pela segunda vez em sua história. Não houve uma lista de dispensas oficial, mas o Vasco mandou embora mais de um time inteiro, incluindo o lateral Fágner (hoje no Corinthians), o zagueiro Cris (ex-Corinthians, Cruzeiro e Lyon-FRA), os meias Juninho Pernambucano (que se aposentou posteriormente) e Marlone (hoje no Corinthians); e os atacantes André (hoje no Sporting-POR) e Carlos Tenório. Foto: Gazeta Press

10 desmanches pós-rebaixamento

Palmeiras 2012 – O Brasileirão daquele ano foi um tormento para o Verdão. Apenas nove vitórias e 22 derrotas em 38 rodadas. Nenhuma vitória nos clássicos paulistas. De 39 jogadores que faziam parte do elenco, 20 foram dispensados ou não tiveram os contratos renovados após o 18º lugar e o segundo rebaixamento em dez anos. Entre os que saíram estavam os meias Corrêa, Tinga e Daniel Carvalho e os atacantes Obina, e Daniel Lovinho. Foto: Gazeta Press

10 desmanches pós-rebaixamento

Coritiba 2009 – Apenas um ponto, foi o que faltou para que o Coritiba permanecesse na primeira divisão do Campeonato Brasileiro 2009. O Coxa terminou a competição com 45 pontos, um a menos que o Fluminense. Os paranaenses, no entanto, possuíam uma vitória a mais. Após a queda, foram dispensados 12 jogadores, destaque para os laterais Guaru e Márcio Gabriel, o meia Rodrigo Pontes e os atacantes Leozinho e Tiago Silvy. Foto: Gazeta Press

10 desmanches pós-rebaixamento

Vasco 2008 – O Campeonato Brasileiro daquele ano começou sob intenso caos. Não houve pré-temporada e uma briga judicial que começou em 2006 terminaria com a posse de Roberto Dinamite na presidência em julho, já com o Brasileirão em andamento. Com todo este clima, não havia como fazer uma grande campanha, e o Vasco terminou o certame na 18ª colocação. Para 2009, saíram 31 jogadores. Faziam parte da barca que zarpou de São Januário atletas como o lateral Baiano, os zagueiros Odvan e Luizão, os meias Morais e Madson e os atacantes Edmundo (que encerrou a carreira posteriormente) e Leandro Amaral. Foto: Gazeta Press

10 desmanches pós-rebaixamento

Corinthians 2007 – Durante o Campeonato Brasileiro de 2007, o elenco corintiano contava com 38 jogadores. A decepcionante trajetória que levou à 17ª colocação e fez o clube ser rebaixado pela primeira e única vez na história motivou o clube a dispensar 24 atletas. Entre os que saíram estavam o goleiro Marcelo, os zagueiros Betão e Zelão, o lateral esquerdo Gustavo Nery, os meias Vampeta (ele mesmo), Moradei e Rosinei e os atacantes Arce e Éverton Santos. Foto: Gazeta Press

10 desmanches pós-rebaixamento

Atlético Mineiro 2005 – O ano de 2005 foi extremamente conturbado nos bastidores do Galo com trocas de treinadores dispensas de atletas e polêmicas no vestiário. Isso resultou em apenas 13 vitórias em 42 rodadas. O Atlético permaneceu por 37 rodadas na zona do rebaixamento e terminou na 20ª colocação. A lista de dispensas incluiu 26 jogadores, entre eles o goleiro Danrlei (ex-Grêmio), os meias Fábio Baiano e Rodrigo Fabri e os atacantes Fábio Júnior e Catanha. Foto: Gazeta Press

10 desmanches pós-rebaixamento

Grêmio 2004 – Um ano após completar o centenário, o Grêmio protagonizou uma das campanhas mais decepcionantes de um clube grande na primeira divisão nacional. De 46 partidas naquele Brasileirão, o Tricolor Gaúcho venceu apenas nove, somando mais 12 empates e inacreditáveis 25 derrotas. O resultado final não poderia ser diferente, a última colocação na tabela e a dispensa de 30 jogadores. Entre o fim de 2004 e o início de 2005, saíram do Grêmio nomes como o goleiro paraguaio Tavarelli, os zagueiros Claudiomiro e Fábio Bilica, os meias Felipe Melo (hoje no Palmeiras) e Arílson e o atacante Cláudio Pitbull. Foto: Gazeta Press

10 desmanches pós-rebaixamento

Palmeiras 2002 – Após o primeiro rebaixamento da história do clube, do elenco de 30 jogadores de 2002 apenas 12 permaneceram. Entre os que saíram após a 24ª colocação (entre 26) que terminou em queda para a Série B, estavam os meias os laterais Leonardo Moura (aquele mesmo ex-Flamengo) e o paraguaio Arce, os meias Fabiano Eller, Paulo Assunção e Lopes e os atacantes Dodô, Nenê (hoje no Vasco) e Itamar. Outros jogadores ainda saíram em 2003, como o meia Zinho, que foi para o Cruzeiro ser campeão da Série A de 2003. Foto: Gazeta Press