10 craques brasileiros que não tiveram destaque em seleções de base

Nos dias atuais, as competições de Seleções de base estão aí para todo mundo ver. Exemplo disso é que as boas atuações da joia do Flamengo, Vinícius Jr, no Sul-Americano Sub-17 recém-conquistado pelo Brasil, já fizeram com que grandes clubes europeus comecem a disputar a contratação do atacante, que tem apenas 16 anos. Mas nem sempre brilhar nas Seleções de base é garantia de sucesso na equipe principal. Aqui, vamos lembrar de jogadores que não tiveram destaque nos selecionados de jovens, mas que brilharam com a camisa amarelinha principal.

Por Vinícius Vale

10 craques brasileiros que não tiveram destaque em seleções de base

Kaká – Kaká é um daqueles casos em que o jogador não brilha tanto na base e já aparece como opção para a Seleção Principal. Entre 2000 e 2001, o jovem, que despontava no São Paulo, chegou a jogar um Torneio de Toulon e também o Mundial, mas não era protagonista. Fez apenas cinco jogos e um gol nas Seleções de Base enquanto a aposta maior era no seu amigo Júlio Baptista. A ascensão foi tão meteórica que já em 2002 ele fez parte da Seleção do Penta e disputou também os mundiais de 2006 e 2010. No total são 95 jogos e 31 gols anotados. Foto: Futura Press

10 craques brasileiros que não tiveram destaque em seleções de base

Paulinho – Um dos nomes de confiança neste início de trabalho do técnico Tite, Paulinho provou que nem mesmo o fato de jogar na China o afastou do protagonismo na Seleção Brasileira. O jogador de 28 anos já tem 37 jogos disputados com a camisa amarela e seis gols marcados. Ele foi outro jogador que não passou nem perto das Seleções de base: a primeira convocação dele foi aos 23 anos para disputar o Superclássico das Américas contra a Argentina, em 2011. Foto: Futura Press

10 craques brasileiros que não tiveram destaque em seleções de base

Mauro Silva – Um dos maiores volantes da década de 90, Mauro Silva foi um dos principais jogadores da conquista do Tetra. Participou dos sete jogos da Seleção Brasileira no Mundial dos Estados Unidos e quase fez o gol do título na prorrogação. Apesar do protagonismo em um momento tão importante do futebol nacional, o volante não teve passagens pelas Seleções de base enquanto defendia o Guarani, clube que o projetou. Foto: Gazeta Press

10 craques brasileiros que não tiveram destaque em seleções de base

Careca – Atacante que começou a brilhar aos 18 anos sendo peça fundamental na conquista do Brasileirão pelo Guarani, Careca é outro que não tem boas lembranças das Seleções de base. Disputou o Torneio de Toulon de 1981, aos 20 anos, mas não fez parte do grupo que disputou o Sul-Americano e o Mundial naquele ciclo. No selecionado principal, o atacante, ídolo do São Paulo e do Napoli, fez 63 partidas e 29 gols, disputando as Copas de 1986 e 1990. Foto: Futura Press

10 craques brasileiros que não tiveram destaque em seleções de base

Marcos – As defesas de Marcos na Copa do Mundo de 2002 foram fundamentais para a conquista do título. Por este feito, o goleiro ídolo do Palmeiras entrou para a história com um dos grandes nomes da Seleção Brasileira. Nas categorias de base, teve apenas uma oportunidade, quando em 1993 disputou o Torneio de Toulon em uma campanha desastrosa, que terminou com a eliminação na primeira fase. Curiosidade: naquela época, o goleiro que começava a brilhar nas Seleções menores era Dida. Foto: Gazeta Press

10 craques brasileiros que não tiveram destaque em seleções de base

Romário – Quem viu Romário dentro da área sabe do que o Baixinho era capaz de fazer. Um dos principais nomes do Tetra nos Estados Unidos, o camisa 11 deixou saudades no torcedor brasileiro por tudo que fez com a camisa da Seleção Brasileira. Já na base, ele disputou apenas o Sul-Americano Sub-20 de 1985, no Paraguai, conquistando o título e levando o time ao Mundial. No ano seguinte, não foi à União Soviética disputar a Copa do Mundo da categoria, que teve Müller como um dos destaques brasileiros. Foto: Futura Press Foto: Futura Press

10 craques brasileiros que não tiveram destaque em seleções de base

Sócrates – Um dos jogadores mais respeitados do futebol brasileiro pela sua elegância dentro dos campos e pelo lado politizado fora deles, Sócrates é mais um que não teve passagens pelas seleções de base. Já no time principal disputou duas Copas do Mundo: 1982 no inesquecível time de Telê Santana e 1986 no México. No total foram 63 partidas disputadas com 25 gols marcados. Foto: Futura Press

10 craques brasileiros que não tiveram destaque em seleções de base

Rivaldo -Outro craque do pentacampeonato, Rivaldo apareceu para o futebol em uma Copa São Paulo. As boas atuações pelo Santa Cruz no torneio chamaram atenção do Mogi Mirim, que o contratou, colocando o jogador na principal vitrine do futebol nacional. Mas Rivaldo nunca disputou uma grande competição pelas Seleções de base. Chegou a fazer partidas em 1992 e 1993, mas não estava na lista do Sul-Americano Sub-20 de 1992 na Colômbia e no Mundial do ano seguinte, na Austrália. No selecionado principal foram 74 jogos e 37 gols, com direito a fazer parte da seleção das Copas de 1998 e 2002. Foto: Futura Press

10 craques brasileiros que não tiveram destaque em seleções de base

Zico – Maior ídolo da história do Flamengo e com disputas de duas Copas do Mundo, Zico nunca participou de uma grande competição na base com a camisa da Seleção. Em 1971, fez cinco partidas pelo selecionado Sub-23 no período pré-olímpico, marcando apenas um gol. Já na equipe principal foram 89 partidas e 66 gols marcados. Foto: Futura Press

10 craques brasileiros que não tiveram destaque em seleções de base

Cafu – Todos conhecem a trajetória do capitão do penta. Os números de Cafu com a camisa da Seleção Brasileira são de impressionar. Único jogador da história a jogar três finais de Copa do Mundo, recordista de partidas pela Seleção em Mundiais (com 20 jogos) e o jogador que mais vestiu a camisa do selecionado brasileiro (149 jogos), Cafu não foi destaque na base. A única passagem dele em um torneio de jovens foi em Toulon, no mês de maio de 1990. Nessa competição, o lateral ajudou a Seleção Sub-20 a terminar na terceira colocação desse tradicional torneio júnior. Foto: Futura Press