Fluminense 'tropeça' contra clubes de menor investimento e vê dificuldade em sequência no Brasileirão

Fluminense venceu times considerados favoritos, mas perdeu duelos importantes (Mailson Santana/Fluminense FC)


A derrota para o Atlético-GO, na última rodada do Brasileirão, acendeu um sinal de alerta para o Fluminense. Apesar de ter conquistado o Carioca e recebido novo fôlego com a mudança de técnicos, o time luta para reencontrar o bom início de temporada, mas sofre com a falta de regularidade na competição de pontos corridos. Dentro e fora de casa, o elenco ainda não teve êxito em fazer boas sequências e não emplacou três jogos de invencibilidade.

Até agora, o Flu acumula quatro vitórias, dois empates e cinco derrotas no Brasileirão. Fora do Maracanã, o clube venceu o Cuiabá e o Fortaleza, empatou com o Palmeiras e perdeu para o Coritiba e o Juventude. Dentro de casa, venceu o Athletico-PR e Atlético-MG, empatou com o Santos e perdeu para o Internacional, Flamengo e Atlético-GO, este no último sábado.

Na oitava colocação do Brasileirão, o Tricolor já vinha demonstrando dificuldade de alcançar a regularidade. Na Libertadores e Sul-Americana, o elenco fez boas partidas, mas vacilou em momentos decisivos e foi eliminado mais cedo. Nos pontos corridos, a equipe tem arrancado pontos de clubes como o Atlético-MG, atual campeão, e Palmeiras que, embora não tenha sido derrota, empatou pela primeira vez com o Flu no Allianz Parque. Por outro lado, não conseguiu ser superior a clubes com menor investimento e que estão no Z4, como Juventude e Atlético-GO.

Por coincidência ou não, o Fluminense perdeu mais em casa do que fora. O desempenho, contrário ao da última temporada, colocou o clube como o sétimo pior mandante da Série A. Contudo, a equipe é a sexta melhor visitante do campeonato. Os dados são do Departamento de Matemática da UFMG.

Os resultados podem ser explicados, talvez, pelas lacunas do elenco. Os reforços contratados para as laterais não corresponderam e, assim, Fernando Diniz tem improvisado jogadores como Caio Paulista e Yago Felipe na posição. No meio, PH Ganso vive boa fase, mas não tem feito longas sequências por conta de lesões e, desta forma, John Arias também cumpre o papel de "solução possível". Embora seja meio-campista, é no setor ofensivo que o colombiano tem se destacado mais. Na zaga, o técnico também precisou improvisar pela ausência de Felipe Melo, que já se recuperou de lesão.

Veja a classificação da Série A do Brasileirão

Ainda que o Brasileirão apresente cenário menos dramático que as competições no formato de mata-mata, a equipe vem deixando de estabelecer vantagem. Até a 11ª rodada, o Flu não conseguiu emplacar três jogos sem perder e se encontra estacionado na tabela. Além do desafio de recuperar jogadores, Diniz também terá a missão de encontrar um estilo de jogo que se adapte aos diferentes adversários e níveis de competitividade do torneio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos