Fluminense firma compromisso para revitalização de Laranjeiras

Laranjeiras tem capacidade para um pouco mais de 7 mil espectadores (Foto: Marina Garcia/FFC)


O Fluminense completou 120 anos, mas quem vai ganhar o presente é o torcedor. Na última quinta-feira, o Tricolor assinou contrato com o escritório de arquitetura Apiacás e o IDEC (Instituto para o Desenvolvimento do Esporte e da Cultura), para revitalização de Laranjeiras. O clube afirmou que todas as regras de tombamento serão respeitadas.

Com as reformas, o Fluminense esperar realizar jogos oficiais no estádio, que tem capacidade para um pouco mais de 7 mil espectadores. O presidente Mário Bittencourt afirmou que o projeto é dentro da possibilidade do clube e vibrou por poder dar esse presente aos torcedores.

"Estou muito feliz com este avanço. É um sonho da torcida e o mais importante é ser um projeto pé no chão. Não adiantava ter a ilusão de criar um obra grandiosa, que não possa ser feita. O importante é respeitar as leis, saber o que pode ser feito e oferecer um local com segurança para o torcedor. Foi um processo transparente e me sinto honrado em dar mais esse presente para o Fluminense".

O escritório Apiacás tem 22 anos de existência e tem como sócios Pedro Barros e Anderson Freitas, que explicou como foi pensado o projeto de revitalização de Laranjeiras.

"Um projeto como esse é interessante e bem-vindo por ter sido pensado pela diretoria do clube, que o entendeu como um programa que precisava ser pensado com calma. Não é um espaço que precisa ser apenas restaurado, ele precisa ser repensado, reprogramado e isso vai além de uma simples revitalização, dentro de novas normas de segurança e modernização. O entendimento é de analisar o clube como uma máquina".

Por se tratar de um patrimônio tombado, o IDEC e o INEPAC (Instituto Estadual do Patrimônio Cultural) precisam trabalhar em conjunto na revitalização do local. O INEPAC tem por objetivo a preservação do patrimônio cultural do Estado do Rio de Janeiro, com a elaboração de estudos, fiscalização e realizando vistorias em obras e bens tombados. O IDEC é o elo entre o clube e o escritório de arquitetura.

"O IDEC centraliza toda a ação, trabalhando para viabilizar as mudanças e trazer transparência. Por ser um prédio tombado, organizamos o cronograma com os engenheiros, fazemos o acompanhamento de perto dos orçamentos e cronograma. Nosso trabalho é seguir o que a legislação precisa e prestar contas de tudo. Nós conseguimos dizer o que e possível ou não, de acordo com as regras e recursos", explicou Tainá Rodrigues, analista de projetos do IDEC.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos