Flamengo conta com os gols de Pedro para conquistar sua 3ª Libertadores

Classificado para disputar sua terceira final de Copa Libertadores em quatro anos, o Flamengo conta com o artilheiro da competição para se sagrar campeão continental pela terceira vez em sua história.

Em uma campanha quase perfeita nesta Libertadores (11 vitórias e um empate), o 'Fla' quer entrar para o seleto grupo de campeões invictos, inclusive superando a campanha de 2012 do Corinthians, que teve oito vitórias e seis empates.

Anteriormente, Santos, Peñarol do Uruguai e Boca Juniors e Estudiantes da Argentina tinham conquistado o torneio sem sofrer derrota, mas disputando a metade dos jogos do formato atual.

- Arrancada com Dorival -

Dois nomes se destacam nesse avassalador Flamengo, dono de um dos melhores elencos da América: o treinador Dorival Júnior e o atacante Pedro.

Pelas mãos de Dorival, a equipe protagonizou uma reação espetacular na temporada e se manteve na disputa de três troféus (Libertadores, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro), após um primeiro semestre muito irregular com o português Paulo Sousa, demitido no dia 9 de junho.

Dorival Júnior deixou o 3-4-2-1 usado por Sousa para passar a jogar com um 4-2-2-2 ou um 4-1-2-3, encaixando as peças e conseguindo uma mudança radical no time que se traduziu em vitórias e no desempenho que a torcida rubro-negra exige do elenco, com a lembrança do time histórico de 2019 ainda muito presente.

- 'Pedrogol' -

No campo, Dorival apostou no atacante Pedro, até então reserva de Gabigol.

Ao balançar as redes quatro vezes contra o Vélez nas semifinais, o centroavante chegou a 12 gols na Libertadores e deixou para trás Zico e Gabigol como o maior artilhehiro do clube em uma edição do torneio.

Aos 25 anos, Pedro finalmente conseguiu explorar e confirmar as grandes expectativas sobre seu potencial desde que surgiu no Fluminense, em 2016.

Em 2018, quando seus gols e atuações com o 'Tricolor' carioca já despertavam o interesse de vários clubes da Europa e inclusive o levaram a ser convocado para a Seleção, Pedro sofreu uma grave lesão no joelho que freou sua evolução.

Já recuperado, foi vendido para a Fiorentina em agosto de 2019, mas não conseguiu se firmar na Itália, onde disputou apenas quatro jogos, nenhum como titular.

Pedro então foi cedido por empréstimo em janeiro de 2020 ao Flamengo, onde recuperou a confiança à base de gols, embora as lesões tenham o impedido de ter uma sequência.

A chegada de Dorival Júnior fez com que o atacante voltasse a exibir sua melhor versão, se mostrando como um autêntico 'matador' dentro da área, mas também trabalhando muito bem como pivô de costas para o gol e abrindo o jogo para seus companheiros.

Com 24 gols em 51 jogos disputados este ano, Pedro sonha em ser convocado para a Seleção Brasileira para disputar a Copa do Mundo. Nesta sexta-feira, ele foi chamado pelo técnico Tite para os amistosos contra Gana e Tunísia, os últimos jogos antes do Mundial do Catar.

"Está sendo um ano muito especial para mim. Cresci e amadureci muito, principalmente mentalmente. Um ano de altos e baixos, que não comecei bem, mas fui resiliante. Tive muita força no momento que precisava e o professor Dorival também me deu muita confiança, conversou comigo, e pude me concentrar no que sempre fui", declarou o atacante depois da partida de volta contra o Vélez.

No dia 29 de outubro, em Guayaquil, Pedro e o Flamengo terão a oportunidade de confirmar seu espetacular segundo semestre, levantando a terceira Libertadores da história do clube (1981 e 2019), e a primeira do atacante.

prb/raa/ol/cb