Finais NBA: Contra o Celtics, Warriors quer evitar situação que só foi revertida uma vez na história

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Celtics e Warriors voltam a se enfrentar nesta sexta-feira - AFP
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


Boston Celtics e Golden State Warriors voltam a se enfrentar nesta sexta-feira, às 22h, no TD Garden, em Boston, pelas finais da NBA. Os Celtics lideram a série por 2 a 1 e uma vitória diante de sua torcida significa ficar a apenas mais um triunfo do título.

Para os Warriors, o quarto jogo da série é um divisor de águas: ou a equipe de San Francisco vence, empata a série e retoma o mando de quadra, ou cai em um buraco do qual apenas um time conseguiu sair em toda a história da NBA.

Em 2016, os próprios Warriors abriram 3 a 1 na final da NBA contra o Cleveland Cavaliers e ficaram a uma vitória de conquistar o título. Em uma reviravolta inédita, os Cavs de LeBron James venceram os últimos três jogos e completaram a virada mais espetacular já testemunhada em uma série valendo o título da liga.

+Valor médio do ingresso para jogo 4 chega a R$10 mil

Para evitar precisar operar um milagre para levantar mais um troféu, o técnico Steve Kerr falou sobre a possibilidade de fazer algumas mudanças nas rotações, dando minutos para jogadores que não entraram tanto durante as três primeiras partidas.

- A gente sempre tenta colocar tudo em uma balança como comissão técnica, que tipo de ajustes precisamos fazer, que alterações temos que efetuar, tudo de acordo com o que estamos sentindo na série. E isso não só levando em conta o placar da série, mas também a questão emocional dos jogadores. Tudo isso vira um fator, mas não existe um caminho e uma resposta certos - afirmou Kerr.

Um dos líderes do grupo, Draymond Green também foi perguntado sobre a necessidade de alterações nos Warriors para evitar nova vitória de Boston. Para o ala-pivô, a decisão cabe à comissão técnica. O importante, segundo ele, é a entrega e a vontade de quem estiver em quadra.

- Às vezes você acerta, às vezes erra. Vamos confiar no que eles decidirem fazer. Se eles acharem melhor usar mais o banco, ótimo. Temos caras mais do que capazes de entrar e contribuir. Se não, cabe a nós fazer um trabalho melhor - resumiu.

Do outro lado, de olho em apliar a vantagem e ficar mais perto do 18º título, o Boston Celtics quer repetir o sucesso dos jogos 1 e 3. O domínio no garrafão e nos rebotes no último jogo são exemplos do que o técnico Ime Udoka quer seguir no duelo desta sexta.

- Temos um time mais alto e queremos impor nossa vantagem neste quesito durante a série, não tenho nenhuma dúvida em relação a isso. Temos muitos jogadores capazes de atacar o garrafão - destacou.

+Draymond Green, do Warriors, minimiza xingamentos em Boston

O armador Marcus Smart, eleito o melhor defensor da temporada, também citou o sucesso do time no jogo 3 para receitar o que é necessário para que a equipe volta a San Francisco com mais um resultado positivo.

- Temos que replicar o que fizemos no último jogo. Reduzimos nossos erros e os rebotes ofensivos do time deles. Nós controlamos a partida e fizemos o jogo que nós queríamos fazer - comentou.

Stephen Curry joga

Após o susto no último quarto do jogo 3, quando Al Horford caiu por cima de sua perna em uma disputa de bola, o armador Stephen Curry descartou qualquer possibilidade de não entrar em quadra contra os Celtics.

- Eu vou jogar, essa é a única coisa que eu sei - afirmou em entrevista coletiva.

Curry contou que focou seu tempo na recuperação do pé e se mostrou ansioso para voltar a enfrentar Boston.

- Dormi mais de 10h, fiz algumas sessões de gelo e foi isso. Tentei me recuperar o máximo possível, sei da importância do jogo 4 e estou animado com a oportunidade de jogar - avisou o armador.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos