Fifa rejeita recurso de Chile e Peru; Equador continua na Copa

A Comissão de Apelação da Fifa ratificou o fechamento da investigação sobre a possível escalação irregular do jogador Byron Castillo pela seleção do Equador, após o recurso das federações de Chile e Peru, e manteve os equatorianos na disputa da Copa do Mundo de 2022.

O procedimento disciplinar tinha sido aberto em meados de maio, após a acusação do Chile, que alegou que Castillo na verdade nasceu na Colômbia e colocou em xeque a participação do Equador no Mundial do Catar.

A Fifa decidiu em julho a favor do Equador, mas Chile e Peru apresentaram um recurso.

"A Comissão de Apelação ratificou a decisão da Comissão Disciplinar de encerrar a investigação do caso iniciado contra a FEF (Federação Equatoriana de Futebol)", informou a Fifa nesta sexta-feira em um novo comunicado.

- Decisão 'sujeita ao TAS' -

"Sobre a base da documentação recebida, entre outras considerações, estimou-se que o jogador deve ser considerado portador da nacionalidade equatoriana", acrescenta a nota.

No entanto, a Fifa adverte que a decisão fica "sujeita" a um possível recurso no Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), instância à qual o Chile vai apelar, informou em comunicado o secretário geral da Federação Chilena, Jorge Yunge.

"É um dia obscuro para o futebol e para a credibilidade do sistema", disse Yunge, ao confirmar que o caso será levado ao TAS.

Em contrapartida, minutos depois de a Fifa anunciar sua decisão, o presidente da FEF, Francisco Egas, afirmou no Twitter que foi feita "justiça esportiva".

"Sempre soubemos que estávamos do lado certo, vamos Equador!, acrescentou o dirigente, incluindo em sua mensagem imagens dos documentos oficiais da decisão da Comissão de Apelação.

O Equador está no Grupo A da Copa do Mundo junto com o anfitrião Catar, contra quem faz a partida inaugural do torneio no dia 20 de novembro, além de Holanda e Senegal.

A denúncia da Federação Chilena de Futebol na Fifa foi por "uso de certidão falsa, falsa declaração de idade e falsa nacionalidade" de Byron Castillo, considerando que o jogador é nascido na Colômbia.

Castillo, que joga no León do México, defendeu a seleção equatoriana em oito jogos das Eliminatórias, nos quais a equipe somou 14 pontos.

Na classificação final, o Equador terminou na quarta colocação, o que garantiu seu passaporte para o Catar.

- A gravação do Daily Mail -

A possibilidade de perda de pontos por punição poderia tirar os equatorianos da disputa do Mundial e o principal beneficiado seria o Chile, que terminou em sétimo mas passaria para o quarto lugar, obtendo desta forma sua vaga no torneio.

Já o Peru, que foi o quinto, disputou a repescagem e foi derrotado pela Austrália (0 a 0 no tempo normal e 5-4 nos pênaltis).

Na última segunda-feira, o caso voltou a ganhar repercussão quando o jornal Daily Mail publicou uma gravação na qual Castillo admitia ser colombiano durante uma entrevista em uma investigação da FEF, que há quatro anos buscava determinar se alguns jogadores tinham falsificado suas identidades, e da qual Castillo foi excluído após apresentar uma certidão de nascimento equatoriana.

"É uma prova externa que não está dentro das que apresentamos, mas consolida ainda mais nossa denúncia", disse o presidente da Federação Chilena Pablo Milad.

Castillo foi convocado na quinta-feira para os amistosos do Equador contra Arábia Saudita e Japão no final de setembro, os últimos jogos antes da Copa do Mundo.

bur/pm/psr/cb