'Ficam as lembranças e a revolta' diz mãe de Leandro Lo no Encontro

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Na manhã desta terça-feira (9), Fátima e Amanda, mãe e irmã de Leandro Lo estiveram ao vivo no programa Encontro com Patrícia Poeta. O campeão de jiu-jítsu foi morto após levar um tiro na cabeça, na madrugada do último domingo (7), em um clube de São Paulo.

"É um momento muito difícil, todo mundo sabe. Ontem foi o sepultamento dele, tinha muita gente no cemitério. Recebi muito conforto e amor, todos lá amavam o Leandro. Todo o amor que tinham por ele, transferiram para mim", disse Fátima.

Ela contou que a última vez que falou com o filho foi no sábado a noite, a convidando para ir na casa da avó, no domingo. Apesar de ela não saber que ele estava indo para o show, sabia ele iria sair com um amigo. "Agora ficam as lembranças boas e a revolta de tudo o que aconteceu", completou.

Amanda, irmã do atleta, comentou sobre a relação que tinha com Leandro. "A gente era muito próximo, éramos unha e carne. Ele era apaixonado pelo meu filho, e meu filho por ele. Perdi o meu melhor amigo, meu parceiro, o amor da minha vida. Fico muito revoltada, quero Justiça, esse homem [o tenente] não merece exercer essa profissão".

Fátima acrescentou ao dizer que gostaria de ter certeza que o tenente fosse responsabilizado e julgado pelo o que fez. "Queria ter a certeza que ele vai pagar pelo o que ele fez. A justiça humana é bem falha, a gente sabe", completou.

A mãe do atleta também comentou sobre a vaquinha divulgada na segunda (8) por João Vicente de Castro, também no Encontro. "Eu não sabia da intenção dessa vaquinha, e eu fiquei chateada, porque a gente não precisa. A família Lo está bem", acrescentou.

Fátima disse ainda que o clube em que o show aconteceu ainda não entrou em contato com a família. "Sinto muito pela mãe dele [o tenente da Polícia Militar], porque ninguém quer um filho desse. Mas ele tem que pagar pelo o que ele fez, porque meu filho era maravilhoso, um guerreiro. A vida dele foi muito difícil."