Felipe Melo e Wellington viram alvo após eliminação do Fluminense e escancaram carência no meio

Felipe Melo marcou um gol contra na última quinta-feira (FOTO: MARCELO GONÇALVES/FLUMINENSE FC)


O sonho do Fluminense com um título nacional de expressão terminou. Com a derrota por 3 a 0 para o Corinthians, o Tricolor está eliminado na semifinal da Copa do Brasil e junta os cacos em uma noite em que não é possível eleger vilões, mas a torcida escolheu os principais alvos. Os volantes Felipe Melo e Wellington foram os mais criticados. O primeiro entrou no segundo tempo, enquanto o segundo foi titular para suprir as ausências.

Felipe Melo sofreu uma lesão no joelho direito em abril, retornando quase dois meses depois. Desde então, iniciou a partida apenas uma vez, contra o Cuiabá, em agosto, mas já admitiu que está longe das melhores condições físicas. Aos 39 anos, o titular absoluto com Abel Braga não conseguiu repetir com Fernando Diniz um desempenho nem minimamente similar. Entregou bolas bobas, teve dificuldades para acompanhar na marcação e diante do Corinthians marcou, contra, o 13º gol da equipe como mandante na Copa do Brasil.

- Em relação ao Felipe Melo, ele é um cara que se dedica ao máximo para jogar em alto nível. O Felipe não entrou mal no jogo tecnicamente. Ele deu volume de passe, chegamos no último terço com mais facilidade e com chances de empatar. Levamos o segundo gol, que desmontou, não foi de contra-ataque. O Nathan já estava de lateral, o Ganso de segundo volante porque tínhamos colocado o time muito para frente. Acabamos levando o gol - avaliou Diniz.

- Não dá para pontuar em cima do Felipe Melo. Ele entrou para dar mais qualidade na saída porque é extremamente técnico e fez isso. É um risco. Embora tenha dores, ele consegue ajudar. Tem qualidade para ajudar, tem muito jogo, inteligência, imposição. Ele entrou bem, teve a infelicidade, algo que acontece, uma certa crueldade do futebol. Mas é um jogador que eu gosto, confio, já falei que é de outra prateleira, um cara que está sempre nos ensinando alguma coisa com perseverança, coragem, entusiasmo - completou.

Veja a tabela da Copa do Brasil

​Já Wellington ganhou a responsabilidade de substituir André, parte fundamental da espinha dorsal do Fluminense. Suspenso, o jovem viu o concorrente ir mal nos 45 minutos que jogou. Não deu botes que poderiam ter evitado lances de perigo do adversário e viu em um desses o gol de Renato Augusto para abrir o placar. No caso deste lance, porém, Fábio talvez tenha sido quem mais errou, já que deu o lançamento errado no início da jogada e estava mal posicionado no retorno às traves.

- O Wellington é um jogador da posição, acostumado, conhece. Já falei mais de uma vez que acho excelente jogador. O Martinelli a posição de origem dele é essa. Não acho que foi um erro e aí vamos analisar isso porque levamos o gol no primeiro tempo e eu já fiz a mexida. A equipe não jogou mal o primeiro tempo. Quando levamos o gol talvez fosse nosso melhor momento. Por conta de um pré-conceito que já tem sobre um jogador, talvez temos que nos justificar em cima disso. Não me arrependo de ter iniciado com essa dupla - afirmou Diniz.

De acordo com o "SofaScore", Wellington teve 92% de acerto nos passes, acertou as três bolas longas que tentou, errou dos dois dribles, venceu um de quatro duelos no chão, perdeu a posse cinco vezes, cometeu uma falta e deu um desarme. Já Felipe Melo jogou por 13 minutos. Deu 14 toques, acertou a única bola longa tentada, teve uma perda de posse, deu um corte, teve um chute bloqueado e marcou o gol contra.

Sem Nonato, vendido pelo Internacional ao Ludogorets, da Bulgária, o Fluminense tem André ainda mais como peça fundamental do esquema. Além de Martinelli, que jogou nesta quinta-feira, Yago Felipe também é uma alternativa entre os reservas e foi testado como titular na vitória sobre o Fortaleza no final de semana.

O Corinthians agora decide o título da Copa do Brasil contra o Flamengo, que é o próximo adversário do Fluminense neste domingo, às 16h, pelo Campeonato Brasileiro. A queda atrapalha também nas finanças do Tricolor, que é o quarto colocado no torneio nacional e agora busca a vaga na Libertadores.