Felipão abre o jogo e comenta sobre se aposentar no final do ano: 'Será que devo continuar?'

Felipão pensa em parar no Athletico. Foto: Wagner Meier/Getty Images
Felipão pensa em parar no Athletico. Foto: Wagner Meier/Getty Images

Perto da partida contra o Palmeiras pela semifinal da Libertadores, o técnico do Athletico-PR, Luiz Felipe Scolari, deu uma entrevista para a Conmebol TV, que será divulgada na íntegra nesta segunda-feira (30). O técnico comentou sobre o seu futuro, destacou o momento do Furacão e elogiou o jovem atacante Vitor Roque.

Felipão comentou sobre uma aposentadoria e revelou que ele tem conversado com a sua família sobre o assunto:

Leia também:

– Eu sinto nesse momento que eles estão dizendo: "ah, pai, tanto tempo não ficaste em casa, que trabalhaste, dedicaste ao futebol". Não que não me dedicasse aos filhos, mas deixei um pouco de lado para que a esposa cuidasse da educação destes meninos. Não está na hora de a gente viver um pouco mais, de viajar, de sair um pouco do trabalho e coisa e tal? Eles já vinham falando isso - revelou.

O técnico chegou ao Furacão para assumir a função de diretor técnico, mas deixou o futuro no clube em aberto. O treinador comentou que vem vivendo um momento especial na equipe paranaense:

- Uma emoção de estar trabalhando em uma equipe como hoje, o meu Furacão, o meu Athletico, que pode chegar a uma final de Libertadores, que era um sonho nosso. O sonho do Athletico que passou a ser meu e dos atletas. Estamos perto - disse.

Por fim, ele elogiou Vitor Roque, joia de 17 anos da equipe. O treinador destacou que dá muita atenção ao desenvolvimento do jovem e pediu paciência:

– Ele é uma joia, é espetacular, um menino puro, muito bom de trabalho. Mas ainda está em formação. Ele tem 17 anos. Aos 15 anos ele já era profissional. Não fez nenhuma formação, tem algumas valências que precisam ser trabalhadas. E o nosso torcedor já enxerga o Vitor como a solução de tudo. Ele vai ser solução à medida que for evoluindo ano para ano. Imagina com o trabalho técnico que se faz no dia a dia com ele, acrescentando algumas coisas que ele não teve, por ser um jogador diferente, vai melhorando, imagina daqui a dois ou três anos? Esse é o Vitor Roque que nós queremos ver - finalizou.