Federer ainda é o tenista que mais ganha dinheiro

Roger Federer embolsou 90 milhões de dólares (cerca de 460 milhões de reais) sem descontar impostos. Foto: Karwai Tang/WireImage
Roger Federer embolsou 90 milhões de dólares (cerca de 460 milhões de reais) sem descontar impostos. Foto: Karwai Tang/WireImage

Apesar de não ter disputado uma única partida em 2022, Roger Federer é, pelo décimo sétimo ano consecutivo, o tenista que mais ganhou dinheiro segundo a lista publicada pela revista Forbes.

O suíço embolsou 90 milhões de dólares (cerca de 460 milhões de reais) sem descontar impostos. Este montante foi obtido em sua totalidade graças aos seus contratos de publicidade, negócios e atividades fora da quadra.

Leia também:

A última partida que Roger Federer disputou data de 7 de julho de 2021, quando caiu nas quartas de final de Wimbledon contra o polonês Hubert Hurkacz.

Em segundo lugar aparece Naomi Osaka com 56,2 milhões de dólares, dos quais 55 não estão relacionados com os lucros alcançados pelos seus resultados nos torneios disputados. O pódio é completado por Serena Williams com 35,1 milhões (35 deles alcançados fora da quadra).

Rafa Nadal é o quarto tenista que mais arrecadou dinheiro em 2022, com 31,4 milhões de dólares. Dos 10 primeiros, ele é um dos que mais faturaram nos torneios disputados: 6,4 milhões. O Top 5 fecha com Novak Djokovic e 27,1 milhões (20 milhões para rendimentos que não sejam seu desempenho esportivo).

Emma Raducanu, de 19 anos, estreia-se entre as melhores com um sexto lugar e 21,1 milhões de dólares (18 deles fora de quadra). Daniil Medvedev levantou cerca de 19,3 milhões. O Top 10 é fechado por Carlos Alcaraz com 10,9 milhões, dos quais 5 foram alcançados com seus resultados esportivos. Ele é o tenista com a maior porcentagem de dinheiro ganho em quadra: 45,8% de seus ganhos são de prêmios de torneios.

Somados, os rendimentos dos 10 melhores tenistas chegam a 316 milhões de dólares, para os 320 de 2021 e os 343 de 2020. O total dos 10 em dinheiro arrecadado fora de quadra é de 285 milhões, superando os 281 milhões do ano passado.

A Forbes considera os prêmios em dinheiro ganhos nos últimos 12 meses, desde o US Open de 2021, para compilar esta lista. As estimativas de ganhos fora das quadras são determinadas por meio de discussões com especialistas do setor e refletem os ganhos por patrocínios, aparições, licenças e recordações, bem como como ganhos em dinheiro de qualquer negócio operado pelo jogador.

A receita de investimento, como pagamentos de juros ou dividendos, não está incluída, mas a Forbes contabiliza pagamentos sobre ações que os atletas venderam. A Forbes não deduz impostos ou taxas de agente.