Falta de bandeira do Brasil é vista como principal falha em ato na USP

SÃO PAULO, SP, 11.08.2022 - CARTA-DEMOCRACIA-SP - Cerimônia da leitura do manifesto e cartas pela democracia, no salão nobre da Faculdade de Direito da USP, no Largo São Francisco, na região central da capital paulista, nesta quinta-feira (11).  (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 11.08.2022 - CARTA-DEMOCRACIA-SP - Cerimônia da leitura do manifesto e cartas pela democracia, no salão nobre da Faculdade de Direito da USP, no Largo São Francisco, na região central da capital paulista, nesta quinta-feira (11). (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A falta da bandeira do Brasil em um local proeminente e as tímidas referências ao verde e amarelo foram os dois principais problemas apontados por organizadores do ato na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco em defesa da democracia, na manhã desta quinta-feira (11).

No pátio central, onde foi lida a Carta aos Brasileiros, havia apenas duas faixas verticais com a palavra "Democracia" e uma horizontal com a frase "Estado de Direito Sempre!" em verde e amarelo, ao lado de outras brancas e vermelhas. Havia ainda algumas bandeiras do lado de fora da faculdade, com a multidão que acompanhou o evento por um telão.

O cochilo foi criticado por alguns dos promotores da manifestação, já que a bandeira e as cores nacionais vêm sendo apropriados por bolsonaristas há anos. O próprio PT tem feito um esforço para se associar mais ao verde e amarelo.

Presente ao ato, o deputado bolsonarista Coronel Tadeu (PL-SP) criticou este aspecto. "A única bandeira do Brasil que eu estou vendo está aqui na minha camisa", disse, apontando para o símbolo.