Fabrizio Gallas: 'Bia Maia vai para quebrar nova barreira no US Open'

WS Open


Uma bela estreia de Bia Haddad Maia no US Open. A adversária não jogava desde antes de Roland Garros, é verdade, vinha sem ritmo, mas é uma ótima jogadora e a brasileira não quis saber, se impôs, jogou firme e não deu brechas. Fez o que tinha que fazer.

Estreias de Grand Slam são difíceis, há um nervosismo a mais, ainda mais se você chega como favorita na partida e favorita para fazer um bom torneio como é o caso da brasileira - vide torneio de Wimbledon.

Bia passou com êxito pelo primeiro desafio.

Agora terá um jogo chave na quarta-feira. Contra a canadense Bianca Andreescu. Ex-top 5, campeã em Nova York em 2019. Bia já derrotou a rival em um torneio menor em 2016, mas são outros tempos, ninguém conhecia a canadense assim como a brasileira não vivia o momento que vive hoje. Jogo mais do que perigoso. A brasileira chega um pouco como favorita, mas sabendo que a rival tem potencial e bola para derrotá-la.

Bia jamais tinha vencido um jogo no US Open. Venceu. Ela jamais passou da segunda rodada de um Slam. Está na hora de quebrar essa barreira. Na terceira rodada bem capaz de pegar a embalada Garcia. Aí é papo para outro post. Chave é bem dura.