Ex-jogadores são presos por manipulação de resultados na Irlanda

Suspeitos foram detidos por crime de formação de quadrilha em manipulação de resultados. Foto: Stephen McCarthy/Sportsfile via Getty Images
Suspeitos foram detidos por crime de formação de quadrilha em manipulação de resultados. Foto: Stephen McCarthy/Sportsfile via Getty Images

A Unidade Antissuborno e Corrupção do Departamento Nacional de Crimes Econômicos de Garda (GNECB) da Irlanda deteve dois homens na faixa dos 30 anos na área de Dublin. Outro homem de 30 anos foi preso no leste do país.

Todos foram detidos por suspeita do crime de formação de quadrilha e são ex-jogadores de futebol.

Leia também:

Oficiais da Interpol ligados à Força-Tarefa de Combinação de Resultados da organização também viajaram de sua sede em Lyon, na França, para apoiar a operação.

Esta operação decorre de uma investigação realizada por detetives ligados à Unidade Antissuborno e Corrupção em 2019, após denúncias de suspeita de manipulação de resultados recebidas da Federação de Futebol da Irlanda (FAI) e da União das Associações Europeias de Futebol (UEFA).

Detetives do GNECB também prenderam um homem no noroeste na semana passada como parte desta investigação em andamento. As prisões de hoje elevam o número total de presos como parte da Operação Brookweed para 14.

A detetive superintendente Catharina Gunne, GNECB, disse: “A manipulação de resultados e a corrupção são uma ameaça a todos os esportes em todos os níveis e mina a confiança do público na justiça do esporte. Pode permitir que o crime organizado se infiltre no esporte para usá-lo para obter ganhos ilícitos ou lavar o produto do crime”.

“A Unidade Antissuborno e Corrupção tomará medidas proativas sempre que necessário para interromper essa criminalidade. Os manipuladores de resultados atacam jogadores jovens e vulneráveis ​​para corrompê-los para seus fins”, seguiu.

A federação irlandesa de futebol também divulgou um comunicado sobre o assunto.

“A FAI observa os últimos desenvolvimentos na investigação em andamento da Garda sobre suposta manipulação histórica de resultados. A FAI, em conjunto com a UEFA, continua comprometida com uma política de tolerância zero na manipulação de resultados. Como isso continua sendo uma questão legal, não podemos comentar mais além disso”, explicou o comunicado.