Ex-jogador da seleção do Chile vive como motorista de aplicativo

Moises Villaroel era um dos titulares do Chile na Copa da França em 1998. Foto: Francois Guillot/AFP via Getty Images
Moises Villaroel era um dos titulares do Chile na Copa da França em 1998. Foto: Francois Guillot/AFP via Getty Images

Mesmo sendo fanático por futebol, você não deve se lembrar Moisés Villaroel um dos titulares do Chile no time que tinha Salas e Zamorano, na Copa do Mundo de 1998 na França.

Depois de pendurar as chuteiras em 2014, o ex-lateral direito iniciou a carreira como treinador, em 2021 foi a sua última experiência no comando de uma equipe e, depois de se ver sem emprego e aos 46 anos, assumiu o volante e agora vive como motorista de aplicativo.

Leia também:

Villaroel conquistou sete títulos nacionais, entre Santiago Wanderers e Colo Colo, além de representar seu país em uma Copa do Mundo, onde a seleção chegou às oitavas de final, e em quatro Copas Américas.

Finalmente, em 2014, decidiu encerrar sua carreira como jogador profissional de futebol para lançar sua carreira como técnico. Depois de vários anos se aperfeiçoando e dirigindo nas categorias de treinamento, em 2018 veio sua primeira oportunidade de assumir o comando de uma equipe profissional e foi no clube de seus amores: Santiago Wanderers.

Infelizmente, nesta nova etapa de sua vida profissional, os resultados não o acompanharam e há meses ele ganha a vida como motorista de aplicativo.

“A verdade é que não deixo cair a coroa por trabalhar como motorista. Não perco meus princípios. Estou muito claro que o trabalho dignifica. Pela mesma razão, para mim isso é um trabalho, uma possibilidade de que as pessoas possam se mudar. Também faço isso para me manter ativo e não apenas ficar em casa sem fazer nada. Conseguir me distrair um pouco”, disse Villaroel em entrevista recente.

Longe dos gramados e à espera de uma nova oportunidade, Villaroel ainda está atento a tudo o que acontece no futebol mundial: “Quando há jogos da Liga dos Campeões ou do Campeonato Nacional, dou prioridade ao futebol. Não é que eu ando o dia todo. Eu dirijo no meu tempo livre.

Da mesma forma, Villaroel também foi categórico ao falar do boom de treinadores argentinos no futebol chileno: "Infelizmente nos últimos anos o futebol chileno foi alimentado por muitos colegas argentinos, tendência dos últimos anos e não faço ideia do porquê, ainda mais sabendo que no Chile temos bons técnicos do INAF, um dos institutos mais prestigiados da América do Sul. Esperamos que quando as portas se abrirem possamos aproveitar as oportunidades ao máximo", finalizou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos