Ex-árbitros analisam expulsão de Bruno Méndez após atuação do VAR

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 01.05.2011 - Retrato Alfredo Santos Loebeling, ex-árbitro de futebol. (Foto: Isadora Brant/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 01.05.2011 - Retrato Alfredo Santos Loebeling, ex-árbitro de futebol. (Foto: Isadora Brant/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A vitória de 1 a 0 do Flamengo sobre o Corinthians, em duelo ocorrido na terça (9), no Maracanã, que eliminou os paulistas da Libertadores, teve atuação do VAR em lance que acabou com Bruno Méndez, zagueiro da equipe paulista, expulso.

A jogada em questão aconteceu por volta dos 20 minutos da etapa final, em uma disputa pelo alto entre o uruguaio e o atacante Pedro, já no campo de ataque dos mandantes.

Os dois jogadores disputaram o espaço na corrida quando Méndez acertou a bola com o braço, evitando um lance de ataque perigoso do Flamengo.

No momento da disputa, o árbitro Esteban Ostojich mandou o jogo seguir, mas o VAR, comandado pelo Leodan González, chamou o conterrâneo uruguaio para uma revisão assim que a bola saiu do gramado.

Ao checar a jogada na cabine, o juiz de campo marcou a falta para o Flamengo e expulsou o jogador do Corinthians de campo.

"O procedimento do VAR foi correto. Se houvesse gol, ele também seria consultado. Quanto à expulsão, também foi correta, já que o Bruno Méndez evitou uma situação clara de gol por ser o último defensor", explicou o ex-árbitro José Aparecido de Oliveira ao UOL Esporte.

Alfredo Loebeling, que também fez carreira no mundo do apito, foi outro a concordar com a atuação dos árbitros uruguaios.

"O VAR é feito para isso, ele faz uma correção. Ele acha que a jogada é para cartão vermelho, chama e informa o árbitro, que vai na cabine analisar o lance e ouve o que o VAR está dizendo. O cartão é vermelho porque era uma oportunidade de gol do Flamengo. A expulsão é corretíssima e o protocolo de VAR foi bem utilizado", falou ele, que esclareceu que "o VAR não mudou a decisão do campo, ele só sugeriu uma revisão. A decisão continua sendo do árbitro de campo."

Outros dois ex-árbitros também acreditam que a decisão foi correta. "O VAR atuou de forma precisa ao auxiliar o árbitro, já que o jogador [Bruno Méndez] deu um golpe na bola e impediu um ataque promissor. O cartão vermelho é correto", disse Márcio Chagas.

"Correta a decisão. Trata-se de mão na bola que, se não intencional, tira do adversário a possibilidade de domínio, impedindo uma chance clara de gol", completou Guilherme Ceretta.

Comentarista de arbitragem da transmissão do SBT, Nadine Basttos corroborou a ação de Ostojich e González. "[A bola] pega na mão do Bruno Méndez, fora da área, então é uma falta com oportunidade clara de gol. Está correto o VAR de chamar, porque é uma falta. Ele domina com o braço, e o Pedro teria a probabilidade de dominar a bola e chutar para o gol", falou a ex-juíza.