'Eu preciso ser campeão para ficar', reitera Rogério Ceni

O técnico do São Paulo, Rogério Ceni, reiterou neste domingo (18), após a vitória do Tricolor sobre o Ceará por 2 a 0, no Castelão, pelo Campeonato Brasileiro, que sua permanência no clube no ano que vem está atrelada à conquista da Copa Sul-Americana. O time do Morumbi faz a final da competição internacional às 17h (de Brasília), do próximo dia 1º de outubro (sábado), na Argentina, contra o Independiente del Valle, do Equador.

- Eu preciso ser campeão para continuar. Por mim, não pelo São Paulo. Sei do carinho que me tratam aqui, mas nós somos movidos a conquistas. Nós vivemos de conquistas. Só assim se marca na história. Eu preciso, os atletas precisam, e o clube precisa dessa vitória.

Ceni já havia colocado sua permanência à frente do Tricolor em xeque na quarta-feira (14), após a derrota por 1 a 0 para o Flamengo, no Maracanã, pela Copa do Brasil. As declarações motivaram o vice-presidente de futebol, Carlos Belmonte, a reforçar que os planos da diretoria são o de manter o treinador até o fim de 2023, conforme definiram na renovação antecipada do contrato, que originalmente ia até dezembro.

Mas o ex-goleiro, ídolo maior de uma geração de são-paulinos, mais uma vez usou da sinceridade para comentar sobre a necessidade de se ganhar algo agora como técnico no Morumbi. E esclareceu que a reformulação dita por ele no Rio de Janeiro (RJ) não passa só por saída de jogadores.

- Não sei se o clube está pronto para voltar a uma (Copa) Libertadores em 2023, pelos aspectos financeiros e técnicos, mas nós precisamos desse momento, do título, da vaga e vamos descobrir se estamos prontos para montar uma equipe. Não estou falando que ninguém vai embora daqui. Eu preciso de jogadores com características que não são oferecidas pelos que estão aqui. Independente se vão renovar, que vai ficar, abrir mão de um pouco de salário... Ninguém está dizendo que alguém vai embora. Só estou dizendo que conquistando essa vaga, temos que procurar opções que faltam ao elenco. Hoje (domingo)por exemplo, com um jogador a mais, quando o Ceará veio para cima, não tínhamos dois jogadores de velocidade para puxar os contra-ataques.

Em uma análise fria, o comandante são-paulino ainda foi direto ao apontar que as conquistas do clube nesta temporada (duas finais, semifinal de Copa do Brasil), já a fazem melhor do que 2021.

- E esse ano é bem melhor do que o ano passado, sim. Pelo menos de quando eu cheguei. E só tinha uma competição para disputar, foi eliminado cedo das outras. E o São Paulo, camisa e instituição, por mais dificuldades que aparece, depois de dez anos, quando aparece uma chance de ser campeão, você tem que pegar.

Mas então as boas campanhas podem fazê-lo mudar de ideia? Ceni é enfático: não.

- Acho que é melhor sermos campeões. Na vida não pode se deixar passar a oportunidade de ser campeão. Temos que pensar e executar, mentalidade vencedora. Nós temos que treinar o time, aproveitar, depois de muito tempo vamos ter duas semanas sem jogo no meio e é assim que temos de pensar e depois analisar se temos condições de disputar uma Libertadores de fato. Depois a gente vê se continua ou não. Sou super bem tratado aqui, mas as pessoas só querem saber de quem põe título na parede.