Eriksen quer surpreender na Copa do Mundo após ganhar uma nova vida

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Faltava pouco para o fim do primeiro tempo quando Christian Eriksen correu para receber a bola na lateral e caiu desacordado. As reações dos jogadores da Dinamarca e da Finlândia evidenciavam a gravidade da situação. Em lágrimas ou em silêncio atônito, os torcedores no estádio Parken assistiam à luta do craque dinamarquês pela vida.

Aos 29 anos, o jogador havia sofrido uma parada cardíaca e perdido a consciência. Ainda no gramado, ele recebeu atendimento por 11 minutos. Durante esse tempo, os companheiros de time formaram um círculo em seu entorno, enquanto os médicos tentavam ressuscitá-lo com massagem cardíaca e o auxílio de um desfibrilador.

Em prantos, Sabrina Jensen, mulher de Eriksen, desceu ao campo e foi acalmada por colegas do marido. Ela e todo o estádio só sentiram algum alívio quando o jogador saiu do gramado de maca, mas acordado.

"Eu saí deste mundo por cinco minutos", ele disse à rede britânica BBC.

Há pouco mais de um ano, em junho de 2021, o meia dinamarquês disputava a Eurocopa de 2020, atrasada devido à pandemia de Covid-19, quando "morreu" em campo, conforme afirmou o médico da seleção da Dinamarca, Morten Boesen. "Christian morreu por alguns minutos, mas o trouxemos de volta."

Na época, foi sugerido que a carreira profissional dele poderia ter terminado. Mas, superado aquele momento de dificuldade extrema, desistir de uma das coisas que mais ama não parecia uma opção.

Sete meses após o drama, recuperado de uma cirurgia para a colocação de um cardioversor desfibrilador implantável (CDI), o jogador fez sua primeira aparição pública, em uma rede de TV dinamarquesa. Não só disse que voltaria jogar como revelou seu maior sonho.

"Quero jogar pela seleção na Copa do Mundo", afirmou. "O meu coração não é um obstáculo."

Ele provaria isso no dia 26 de fevereiro deste ano, ao estrear pelo Brentford diante do Newcastle, em duelo pelo Campeonato Inglês. O meia entrou em campo aos sete minutos do segundo tempo e foi aplaudido de pé por torcedores das duas equipes. Seu time perdeu o confronto por 2 a 0.

"Tirando o resultado, sou um homem feliz", afirmou Eriksen. "Passar pelo que passei e estar de volta é uma sensação maravilhosa."

O jogador tinha contrato com a Inter de Milão quando teve a parada cardíaca. Após a necessidade médica de usar um CDI, teve seu vínculo rescindido. O atleta não pôde continuar na Itália porque o regulamento da liga nacional proíbe os jogadores de entrar em campo com tal dispositivo.

Na Inglaterra, o dinamarquês aos poucos reencontrou o bom futebol. Ele foi peça importante na permanência do Brentford na primeira divisão e, em março, voltou a ser convocado.

A reestreia pela seleção foi contra a Holanda, em um amistoso, derrota por 4 a 2. Foi do camisa 10 um dos gols dinamarqueses, um momento de redenção.

Eriksen tem sido constantemente convocado pelo técnico Kasper Hjulmand desde então. O craque deverá novamente ser o grande líder de seu país na disputa do Mundial no Qatar. Será a terceira Copa do jogador, que esteve na África do Sul, em 2010, e na Rússia, em 2018.

Em Mundiais, ele ainda busca seu primeiro gol. Pela seleção, já demonstrou ter faro apurado. Em 72 jogos, marcou 25 vezes em jogos oficiais. É o oitavo maior artilheiro da Dinamarca.

O desempenho na atual temporada amplia a confiança em uma boa exibição no Oriente Médio.

Em julho deste ano, Eriksen foi contratado pelo Manchester United. No Old Trafford, teve um início difícil, assim como todo o time, que sofreu para se encontrar nas primeiras rodadas da Premier League. Agora, é um dos destaques da equipe, que se recuperou e está a somente três pontos da liderança.

Com a camisa do United, ele espera se manter em alto nível para chegar ao Mundial em condições de ajudar a Dinamarca a surpreender.

"Ainda tenho grandes ambições no futebol, há muito que sei que posso alcançar, e este é o lugar perfeito para continuar minha jornada."

*

RAIO-X

Christian Dannemann Eriksen, 30

Nascimento

14 de fevereiro de 1992, em Middelfart, na Dinamarca

Altura

1,82 m

Posição

Meia

Pé preferencial

Destro

Clube atual

Manchester United (desde 2022)

Pela seleção (desde 2010)

115 jogos - 38 gols (incluindo amistosos)

Títulos

Ajax (HOL)

Copa da Holanda (2009–10)

Campeonato Holandês (2010–11, 2011– 12 e 2012–13)

Supercopa da Holanda (2013)

Inter de Milão (ITA)

Campeonato Italiano (2020–21)