Entre altos e baixos, Fluminense de Diniz oscila e segue em busca de adaptabilidade no Brasileirão

Fernando Diniz faz reflexão sobre as vaias no futebol brasileiro (FOTO: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE FC)


Após pouco mais de um mês à frente do Fluminense, a segunda passagem de Diniz vem sendo marcada pela dúvida. Apesar de ter conquistado pontos importantes no Brasileirão, e apresentado um desempenho convincente dentro de campo, o técnico também comandou o elenco em jogos com um desempenho muito abaixo do esperado. Assim, seu trabalho vem sendo marcado pelos altos e baixos, que se refletem na tabela da competição.

Diniz chegou ao Fluminense em um momento crítico. Com a saída repentina de Abel Braga, o primeiro duelo do técnico foi contra o Junior Barranquilla, no Maracanã, pela Sul-Americana. A vitória empolgou parte da torcida. Na sequência, um empate inédito contra o Palmeiras no Allianz Parque deu indícios de que a equipe seguia no caminho da tranquilidade. Porém, não foi o que ocorreu.

Assim como Abel Braga, que viu o time cair de rendimento após a conquista do Carioca, Diniz teve de lidar com a oscilação em alguns momentos. O primeiro balde de água fria aconteceu contra o Unión Santa Fe-ARG, ainda pela Sul-Americana. Mesmo criando chances, o Flu encerrou a partida decisiva com um empate sem gols. Assim, passou a depender de resultado externo para chegar nas oitavas de final. Logo depois, uma vitória contra o Fortaleza no Brasileirão trouxe a esperança novamente.

Coincidência ou não, o Tricolor rendeu menos após a eliminação na Sul-Americana. As semana livre para treinos não surtiram efeito e nem os retornos de PH Ganso e Felipe Melo foram capazes de reanimar a situação dentro de campo. Depois da goleada histórica por 10 a 1 sobre o Oriente Petrolero, o jogo contra o arquirrival Flamengo terminou em derrota apesar de equilibrado, algo que não ocorria desde o Carioca de 2021.

Na sequência, o Flu amargou uma derrota para o Juventude em um encharcado Alfredo Jaconi. Mais uma vez o clima de desolação tomou conta da arquibancada, que compareceu em menor número no duelo seguinte, contra o Atlético-MG no Maracanã. Contudo, o Tricolor protagonizou um dos seus melhores jogos na temporada e venceu o atual campeão por 5 a 3, reafirmando as qualidades do futebol de Fernando Diniz.

Apenas três dias depois da vitória sobre o Galo, a história foi outra. Contra o Atlético-GO, a torcida compareceu, mas o elenco não apresentou a mesma postura. Assim, o Dragão dominou os minutos iniciais da partida e saiu na vantagem. A situação se complicou com a expulsão de David Braz, que também recebeu cartão vermelho contra o Flamengo, mas o coletivo não apresentou a mesma postura do duelo anterior.

Veja a classificação da Série A do Brasileirão

Embora algumas derrotas sejam compreensíveis, tanto por condições de jogo como pela desvantagem de ter um a menos em campo, o fato é que o Fluminense estagnou no Brasileirão. A poucas rodadas do fim do primeiro turno, e com a iminente saída de peças importantes, Diniz precisará recuperar os pontos perdidos, assegurar a classificação na Copa do Brasil e encontrar a adaptação ideal a cada adversário e competição. Uma tarefa árdua, mas possível.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos