Em recurso para seguir rito da SAF, Vasco destaca limites de sócios-torcedores


O Vasco recorreu da decisão liminar que suspendeu a programação para aprovar a SAF. A informação foi publicada primeiramente pelo “ge” e o LANCE! teve acesso ao documento. O clube entende que o juiz foi induzido ao erro, tendo em vista que os sócios-torcedores não deliberarão acerca da operação com a 777 Partners.

O Cruz-Maltino também alega que a Comissão de defesa do comsumidor da Alerj não tem legitimidade para intervir em deliberações de associação civil. Além disso, o clube argumenta que a ação foi movida pelo deputado Fabio Silva, presidente da CODECON. Portanto, segundo o Regimento Interno do órgão, o parlamentar não tem poderes para representação fora do Poder Legislativo.

​- Essa ação judicial promovida pelo CODECON é uma aventura individual de seu Presidente; não houve deliberação interna na própria CODECON para o ajuizamento da demanda, eivando-a de erro insanável. Peo Regimento Interno da ALERJ, o Presidente de Comissão não tem poderes de representação dela fora do âmbito do Poder Legislativo - aponta o documento.

Nota Vasco
Nota Vasco

Foto: Reprodução


Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos