Em litígio com a Nike, Vinícius Júnior entra na mira da Adidas e Puma

Vini Jr. comemora o seu gol contra Coreia do Sul. Foto: Amin Mohammad Jamali/Getty Images
Vini Jr. comemora o seu gol contra Coreia do Sul. Foto: Amin Mohammad Jamali/Getty Images

O atacante Vinícius Júnior, do Real Madrid, entrou na mira das marcas Adidas e Puma. O jovem de 22 anos está em litígio com a Nike e pode receber dez vezes mais caso feche com umas dessas empresas. A informação foi publicada nesta terça-feira (6) pelo portal UOL.

Vini Jr está sob contrato com a Nike até o ano de 2028 e advogados foram contatados para romper esse vínculo. Com intuito de não denotar um assédio, Puma e Adidas sondaram recentemente com valores bem acima daquilo que está no negócio vigente.

Leia também:

Pessoas ligadas ao jogador disseram que o descontentamento do Vini com a Nike não é por questão financeira, mas consideram que o atual tratamento da empresa estadunidense com atacante é considerado injusto. Cifras elevadas são os diferenciais na hora de Vini optar tanto pela Adidas quanto a Puma.

Esse vínculo de Vinícius Júnior com a Nike é de longa data, ou seja, o profissional convive com essa parceria desde os seus 13 anos de idade. Uma relação que anda de mal a pior e a prova disso é que Vini deixou de usar as chuteiras da Nike nas recentes fases da “mata-mata” da Champions League.

Ao menos, Júnior jogou até aqui neste Mundial do Catar com modelo antigo da Mercurial. A Nike tenta contornar essa situação, mas UOL conseguiu contato dos representantes do atleta, que afirmaram que não há mais volta.

OUTRA SAÍDA

Neymar foi quem deixou de ter vínculo com a Nike e passou a ser patrocinado pela Puma. O camisa 10 da Seleção Brasileira foi acusado pela própria Nike de ter cometido assédio sexual contra uma funcionária em 2016. Segundo a empresa, o contrato foi rompido porque Neymar se recusou em ajudar nas investigações, que foram encerradas e consideradas conclusivas.