Duílio planeja ampliação da Arena e alojamento da base do Corinthians durante seu mandato


O presidente do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, ultrapassou, no segundo semestre deste ano, a metade do seu mandato à frente do clube alvinegro. No entanto, o cartola ainda tem pouco mais de um ano de gestão e neste período não focará somente no futebol, mas, também, na parte estrutural.

+ 112 anos do Timão: relembre 12 momentos marcantes na história do Corinthians

O comandante do Timão tem dois objetivos até entregar o cargo, que não possui reeleição: a ampliação da Neo Química Arena, e a construção de um alojamento para os atletas das categorias de base.

NEO QUÍMICA ARENA

No caso do aumento de capacidade de público do estádio corintiano, é um sonho um pouco mais distante, pelo menos neste primeiro momento. Isso porque o próprio Duílio admite que a prioridade da direção é quitar o acordo costurado com a Caixa Econômica Federal para o pagamento da Arena.

No fim de julho, o Conselho Deliberativo corintiano aprovou um novo acerto, onde o Corinthians começará a pagar a partir do ano que vem, sendo que as parcelas anuais iniciaram o seu processo de quitação em 2025. Antes, as tratativas costuradas em 2020 previam com o Timão que já teria que iniciar o pagamento no fim deste ano.

- Temos um estádio maravilhoso, conseguimos um acordo muito importante com a Caixa e com a Odebrecht. A recuperação judicial já foi aprovada por unanimidade, o juiz já homologou e agora tem o prazo que temos que aguardar para ver se aparece alguém contra. Temos que primeiro cuidar desta parte, porque temos o estádio para pagar - disse Duílio em entrevista nos bastidores da live show que comemorou o aniversário de 112 anos do Corinthians, na última quinta-feira (1º).

Neo Química Arena - Corinthians x RB Bragantino
Neo Química Arena - Corinthians x RB Bragantino

Mesmo com frio de 9º, na última segunda-feira (29), torcida do Corinthians levou mais de 36 mil torcedores à Arena, contra o RB Bragantino (Foto: Rafael Marson/LANCE!)

Ainda que cauteloso, Duílio reconhece a necessidade de ampliação da Neo Química Arena, que hoje tem capacidade para cerca de 48 mil torcedores, e que nesta temporada tem média de público um pouco maior de 37 mil presentes. É o maior registro médio anual desde a inauguração do estádio, em 2014.

Além disso, hoje o Timão tem uma base de 116 mil sócios, o que aumenta a concorrência na hora da busca pelos tickets, através do rating.

Mesmo assim, o mandatário corintiano demonstra preocupação em realizar esse processo pensando, acima de tudo, na saúde financeira do clube alvinegro.

+ Confira a tabela do Campeonato Brasileiro e simule os próximos jogos

- A gente trabalha em cima disso, mas com responsabilidade para fazer a ampliação, mas de uma forma que não prejudique o clube, como temos feito. É uma ideia, enxergo como uma necessidade, porque temos 160 mil fiéis torcedores pagantes e teremos mais dificuldades de espaço quanto melhor o time estiver. É algo que está nos planos, mas com calma, responsabilidade, para não dar um passo maior do que a perna e não sofrer, de novo, o que já estamos passando - destacou Duílio.

Uma possibilidade aventada, principalmente após o vazamento de uma reunião da direção corintiana, o técnico Vítor Pereira, e membros da Gaviões da Fiel, principal torcida uniformizada corintiana, era a de retirada de cadeiras de alguns setores ou até mesmo a redução do tamanho dos acentos, de 45cm para 40cm. Isso, no entanto, foi descartado por Duílio.

ALOJAMENTO PARA A BASE

Após adiar a entrega do Centro de Treinamento para as categorias de base, prevista para 2020, mas estendida por conta da pandemia do novo coronavírus, o Corinthians encerrou o processo de construção do local, que fica instalado ao lado do CT Joaquim Grava, que abriga a equipe profissional.

Contudo, o complexo ainda não conta com um alojamento para abrigar parte desses jogadores.

O Timão possui a ‘Casa do Atleta’, no bairro do Tatuapé, mas o espaço comporta apenas 40 pessoas. A ideia é que, no CT, o Timão consiga receber em torno de 160 jovens.

Duílio se mostrou cauteloso sobre entregar o projeto até o fim do seu mandato, mas deixou claro que essa será uma das suas prioridades,

O cartola também destacou a importância da base, e admitiu que o Corinthians perde atletas nas suas categorias de formação por falta de alojamento para fornecer.

- Existe, sim (a possibilidade de entregar o alojamento). É ruim falar isso aqui, depois não entrega, mas é a prioridade número um terminar o alojamento da base. Nós estamos vendo a qualidade dos jogadores da base. Muito se fala que a base não é boa, mas vemos aí grandes jogadores, no mundo todo, que saíram da base do Corinthians e fazem muito sucesso, na Seleção Brasileira, em grandes ligas e também no nosso time. É o exemplo claro de que a base funciona - disse o presidente corintiano.

+ Quem escalar no Cartola FC? Veja cinco dicas por posição para a 25ª rodada do Brasileirão

- Nossa base é muito boa, e com alojamento conseguiremos melhorar bastante. Hoje o Corinthians perde muitos atletas para clubes que têm condições de alojar. É uma responsabilidade muito grande, para alojar um jogador temos que ter uma estrutura perfeita para não correr nenhum risco e dar condições aos atletas de terem uma vida tranquila, educação e parte esportiva também. Corremos todos os dias para achar soluções para construir, e esta é uma prioridade - concluiu.

Ainda ao falar de base, Duílio relembrou que duas das vendas que a instituição realizou na temporada, o representa um terço do cumprimento da meta de negociações de ativos que o clube tinha neste ano, são frutos das categorias de base: o zagueiro João Victor, vendido para o Benfica, de Portugal, e o meia-atacante Gabriel Pereira, o GP, negociado com o New York City, dos Estados Unidos.

Juntas, a vendas desses dois atletas significa algo em torno de R$ 75 milhões aos cofres corintianos.

Além dos negociados, o presidente corintiano relembrou investidas de outras equipes por outros ativos oriundos da base, como o lateral-esquerdo Lucas Piton, e o volante Du Queiroz.

- Neste ano tivemos vendas de Gabriel Pereira, João Victor, propostas para Du Queiroz, Lucas Piton sempre tem procura e outros também - pontuou Monteiro Alves.

Além da dupla mencionada, o zagueiro Robert Renan também é alvo de agremiações da Europa, principalmente na Inglaterra. O atacante Adson é outro que tem sido monitorado por algumas equipes do exterior.